Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











domingo, maio 09, 2010

AH ! AH ! AH !

Telefonaram-me hoje, ao princípio da tarde, com a notícia da morte de um antigo companheiro de trabalho. José Ladeiras morreu, segundo o telefonema suicidou-se.
O Ladeiras era um tipo desconcertante. Tinha a irreverência própria dos inimputáveis. Enquanto estive na RTP, sempre achei que ele mantinha o posto de trabalho por via de alguém que lhe guardava as costas devidamente. Fosse como fosse, era um acto de caridade que ficava bem à empresa. Tem mais valor dar acolhimento a um maluco do que albergar outros inúteis do mesmo calibre só porque pertencem ao partido da moda ou se deitam com o director do momento.
Mas a mesma RTP que o abrigou durante tanto tempo não soube protegê-lo da avidez de sensacionalismo e audiência que fizeram os Gato Fedorento cometer uma crueldade sem limites. O vídeo está aí, para vergonha dos autores… rebaixaram-se a gozar com um ingénuo e generoso personagem. Na busca do gozo, foram mais alarves que uma anedota grosseira. Dizem-me que, depois da triste cena nos Gato Fedorento, o José Ladeiras nunca mais foi o mesmo. Que entrou numa depressão profunda. Acabou por se matar. Que gargalhada!

12 comentários:

Helder MC disse...

"Fosse como fosse, era um acto de caridade que ficava bem à empresa."

Hein? Ai agora manter incompetentes no seu posto é um acto de caridade? Que gargalhada.

Quase tenho a certeza que quem o mantinha lá era só porque lhe dava um gozo brutal ver as imbecilidades desse senhor. E já agora lhe digo ó CN: o vídeo dos gato só foi feito porque permitiram a esse senhor trabalhar em algo para o qual claramente não tinha vocação. Não venha cá agora criticar quem fez o seu trabalho e muito bem feito.

Captomente disse...

A questão é se os Gato obtiveram permissão ou, ao menos, informaram o dito antes de divulgar as imagens não-editadas e nunca antes emitidas, no programa deles.

Se não o fizeram...

Otário disse...

ele suicidou-se mesmo? :O

CN disse...

Caro Helder MC... pode-se rir à vontade. Fica-lhe muito bem. Mas não se mate a rir...

LA disse...

Nunca fui fã dos gatos, são fracotes, nem do único que escapa, o Ricardo.
E uma das razões de não os apreciar é eles fazerem aquelas piadas fáceis sobre pessoas simples ou maluquinhos. Uma coisa é brincar e outra é mandar as pessoas para o fundo do poço, que é o que eles, e muita gente, faz. É sobranceria, é coisa feia.
Não percebo como é que alguém minimamente inteligente se acha muita piada apenas por enfiar um barrete e falar com sotaque como falam as pessoas em Trás-os-montes ou no Alentejo. É duma burrice completa.
Mas acho que não se lhes pode deitar a culpa do jornalista se ter suicidado, acho que isso é ir um bocado longe, senão não faltavam aí assassinos.

José Teles disse...

Tens toda a razão, Carlos. Os Gato Fedorento têm feito até algumas coisas boas. Aquelas canalhices dos Tesourinhos deprimentes... foram de uma crueldade miserável. E não foram só eles que tiveram a culpa. Quem lhes cedeu as imagens, que nem sequer existiam nos arquivos da RTP mas apenas nos arquivos privados de alguns filhos-da-puta, espero que tenham hoje a consciência pesada. Se é que têm disso. Falei uma vez Com o José Ladeiras depois daquele auto-de-fé... Ele sabia quem tinham sido os bufos, as fontes. No lugar dele, eu sei o que lhes teria feito.

João Pais disse...

Caro Captomante,
tanto quanto imagino, o material gravado pertence à RTP e nao ao "entrevistador", por isso nao têm que informar ninguém pelo seu uso, uma vez que têm a autorizacao do proprietário.
O mesmo acontece se a próxima geracao de comediantes resolver fazer um sketch com "tesourinhos de gatos deprimentes".

Mas é deprimente que uma pessoa que nao sabe fazer o seu trabalho seja permitido estar tanto tempo a tomar o lugar de alguém que poderia ter mais vocacao. Independentemente de como seja a nível pessoal, se este material é demonstrativo da sua qualidade, como jornalista nao parecia ser dos melhores.

Por exemplo, se substituissem este tipo de pessoas por mais Carlos Narcisos nas várias redaccoes do país, estaríamos bem melhor servidos.

José Teles disse...

Imagina mal, João Pais. O que era propriedade da RTP, "o que interessava" (dizíamos) era o que ia para o ar. O resto eram rascunhos, tentativas, "takes" que corriam bem ou mal, não havia problema, quando o operador era um tipo sério, e não ia a correr para a sede do Partido mostrar o "material" que muitas vezes servia para os camaradas críticos televisivos no dia seguinte zurzirem a RTP e os que não eram do Partido. Até bocas, pequenas confidências, brincadeiras na redacção chegavam aos ouvidos dos ditos críticos do Partido que as usavam nos dias seguintes para humilhar "os inimigos internos". Hoje sei disso e sei quem eram. Só não sei se o RAP (ou alguém por ele!) era um dos que estava na sede do Partido a receber os bufos.

Rufferto disse...

Não vamos agora culpar os Gato Fedorento por isto que o Ladeiras fez. O Luís Arriaga também não saiu propriamente por alto dos Tesourinhos Deprimentes, mas que eu saiba não fez nada do género depois disso. E os outros do "p'tanto" e "'samente", será que também escolheram acabar com a própria vida?

As pessoas têm de começar de uma vez por todas a ser responsabilizadas pelos seus actos. Esta mentalidade de que os drogados são doentes, os criminosos são vítimas da sociedade e por aí fora só serve para perpetuar a impunidade que se vive neste país. Quando acontece alguma coisa de mal, tipo a queda da ponte de Entre os Rios ou a morte do Ruben por carregar no botão do semáforo, ninguém tem culpa de nada, são coisas que acontecem. Se o Ladeiras infelizmente se suicidou, não vamos agora culpar os Gato Fedorento ou a sociedade por isso.

Sabia que o Ladeiras tinha estado muito mal recentemente, como resultado de um acidente ou doença, mas foi com pesar que soube hoje que tinha falecido. Vou fazer por me lembrar dele com carinho e esquecer a forma como saiu deste mundo.

Um grande "POP - Óptimo!" à memória do grande José Ladeiras. Que descanse em paz.

tst oproprio disse...

já me lembro a morte...
azedumes


Ai agora manter incompetentes no seu posto é um acto de caridade? Que gargalhada.

Quase tenho a certeza que quem o mantinha lá era só porque lhe dava um gozo brutal ver as imbecilidades desse senhor. E já agora lhe digo ó CN: o vídeo dos gato só foi feito porque permitiram a esse senhor trabalhar em algo para o qual claramente não tinha vocação. Não venha cá agora criticar quem fez o seu trabalho e muito bem feito.

tst oproprio disse...

uma alma sensata
Não vamos agora culpar os Gato Fedorento por isto que o Ladeiras fez. O Luís Arriaga também não saiu propriamente por alto dos Tesourinhos Deprimentes, mas que eu saiba não fez nada do género depois disso. E os outros do "p'tanto" e "'samente", será que também escolheram acabar com a própria vida?

As pessoas têm de começar de uma vez por todas a ser responsabilizadas pelos seus actos. Esta mentalidade de que os drogados são doentes, os criminosos são vítimas da sociedade e por aí fora só serve para perpetuar a impunidade que se vive neste país. Quando acontece alguma coisa de mal, tipo a queda da ponte de Entre os Rios ou a morte do Ruben por carregar no botão do semáforo, ninguém tem culpa de nada, são coisas que acontecem. Se o Ladeiras infelizmente se suicidou, não vamos agora culpar os Gato Fedorento ou a sociedade por isso.

Sabia que o Ladeiras tinha estado muito mal recentemente, como resultado de um acidente ou doença, mas foi com pesar que soube hoje que tinha falecido. Vou fazer por me lembrar dele com carinho e esquecer a forma como saiu deste mundo.

Um grande "POP - Óptimo!" à memória do grande José Ladeiras. Que descanse em paz.

tst oproprio disse...

The Bufo Theoria

Tens toda a razão, Carlos. Os Gato Fedorento têm feito até algumas coisas boas. Aquelas canalhices dos Tesourinhos deprimentes... foram de uma crueldade miserável. E não foram só eles que tiveram a culpa. Quem lhes cedeu as imagens, que nem sequer existiam nos arquivos da RTP mas apenas nos arquivos privados de alguns filhos-da-puta, espero que tenham hoje a consciência pesada. Se é que têm disso. Falei uma vez Com o José Ladeiras depois daquele auto-de-fé... Ele sabia quem tinham sido os bufos, as fontes. No lugar dele, eu sei o que lhes teria feito.

10 Maio, 2010 23:24

AddThis

Bookmark and Share

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores