Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











terça-feira, dezembro 14, 2010

Wikileaks, o rombo na hipocrisia

57 minutos e 24 segundos muito interessantes.

segunda-feira, dezembro 13, 2010

É Natal! É Natal!

quinta-feira, dezembro 09, 2010

Our sisters

Irmão: igual, semelhante, membro da mesma confraria.

Sisters from Camfed on Vimeo.

Our Brothers

Irmãos nossos precisam de ajuda. Os que puderem, ajudem.

Brothers [US] from Camfed on Vimeo.

quinta-feira, dezembro 02, 2010

Austeridade

segunda-feira, outubro 04, 2010

Coisas de Velho

Conversa entre dois amigos. Um, mais velho, aconselha o outro sobre o envio de uma carta de motivação, a propósito de uma candidatura para um posto de trabalho.

- Diz-me o que achas. Já tenho CV feito e falta-me enviar juntamente com as cartas de motivação...

- Numa 1ªleitura não me parece mal. Acho, no entanto, que deverias dizer alguma coisa sobre a empresa e não apenas sobre ti. Um paleio tipo "a importância fundamental da empresa…”. Endereça a carta com a indicação de "pessoal" na frente do envelope

- Não era suposto enviar por mail?

- Claro! Desculpa. Por email...óbvio. Quando oiço a palavra "carta" ainda vejo envelopes, carteiros e caixas metálicas com ranhuras. Coisas de velho.

domingo, setembro 19, 2010

Cerebrum !

terça-feira, julho 20, 2010

19 800

domingo, maio 16, 2010

De repente

De repente ficou doente e de repente morreu. Assim, de repente, fiquei sem um amigo. Eu, que já sou pobre.
Como não sei cantar, peço emprestada uma canção a quem sempe as soube fazer. Aqui fica, para que a ouças e dances e rias e ironizes como sempre fazias. Um abraço, Fernando… até um dia.



Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.
O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...

Vinicius de Moraes

quarta-feira, maio 12, 2010

Cyber esperteza


O texto anterior menciona um caso de suicídio. A palavra “suicidou-se” consta desse texto. Assim como outras relacionadas como, por exemplo, “morte”, “morreu”, “matar”. Hoje, reparei que havia um novo anúncio Google aqui no blog. Para espanto meu, é um anúncio de uma agência funerária… Claro que nada disto é coincidência. A Google deve ter uma aplicação qualquer que detecta temas, palavras-chave utilizadas nos textos, e que encaixa propaganda adequada a essas temáticas. Como se nunca escrevêssemos sobre coisas odiosas.

domingo, maio 09, 2010

AH ! AH ! AH !

Telefonaram-me hoje, ao princípio da tarde, com a notícia da morte de um antigo companheiro de trabalho. José Ladeiras morreu, segundo o telefonema suicidou-se.
O Ladeiras era um tipo desconcertante. Tinha a irreverência própria dos inimputáveis. Enquanto estive na RTP, sempre achei que ele mantinha o posto de trabalho por via de alguém que lhe guardava as costas devidamente. Fosse como fosse, era um acto de caridade que ficava bem à empresa. Tem mais valor dar acolhimento a um maluco do que albergar outros inúteis do mesmo calibre só porque pertencem ao partido da moda ou se deitam com o director do momento.
Mas a mesma RTP que o abrigou durante tanto tempo não soube protegê-lo da avidez de sensacionalismo e audiência que fizeram os Gato Fedorento cometer uma crueldade sem limites. O vídeo está aí, para vergonha dos autores… rebaixaram-se a gozar com um ingénuo e generoso personagem. Na busca do gozo, foram mais alarves que uma anedota grosseira. Dizem-me que, depois da triste cena nos Gato Fedorento, o José Ladeiras nunca mais foi o mesmo. Que entrou numa depressão profunda. Acabou por se matar. Que gargalhada!

quarta-feira, abril 28, 2010

À conversa (no virtual)

cliquem na imagem (para poderem ler sem lupa...)


segunda-feira, abril 26, 2010

Feios, ricos e maus


As notícias são esclarecedoras. Por causa do que se passa na Grécia (o deficit, a bancarrota, o horror!), estão a subir os juros que a banca internacional exige a Portugal. Por sua vez, os gregos precisam de não sei quantos triliões a breve prazo, mas dizem que esses mesmos banqueiros exigem juros proibitivos… ou seja, os banqueiros construíram um círculo vicioso de onde os países empobrecidos jamais serão capazes de sair… Gostava de perceber o que ganham com isso esses tais banqueiros… Será para manterem coutadas de mão-de-obra barata?... Não sei... mas percebo que estamos nas mãos deles. São eles quem nos governam, realmente. Os financeiros, os grandes especuladores que movimentam orçamentos que metem o nosso OGE na cova do dente… E não há como exterminá-los.

sexta-feira, abril 16, 2010

Laicos? Porquê?


As escolas fecham, o Estado decretou tolerância de ponto para os seus funcionários, a central sindical UGT pediu aos patrões privados para seguirem o exemplo do Estado. Como Estado laico não estamos mal…
Pouco importa que a Constituição proclame a não confessionalidade do Estado implícita no artigo 41.º, que trata da liberdade de religião e culto... e pouco importa que a Lei da Liberdade Religiosa diga que "o Estado não adopta qualquer religião." Não importa mesmo nada...

terça-feira, abril 13, 2010

Cançoneta nacional

segunda-feira, abril 12, 2010

Brutalidade absoluta

domingo, abril 11, 2010

Dos qui mamam...

quinta-feira, abril 08, 2010

Cinismo mórbido

O vídeo é mais um anúncio da Nike, marca patrocinadora do famoso golfista Tiger Woods. Na verdade, é um bocadinho mais que um anúncio... é a prova provada de que quando há dinheiro envolvido, vale tudo até tirar o pai da campa... é que a voz que foi utilizada no vídeo é a voz do defunto pai do golfista. O pai pergunta-lhe se "aprendeste alguma coisa"...



... e a resposta é, obviamente, sim. A fingir... porque fingir continua a dar. A dar belos cachets e patrocínios, claro.

quarta-feira, abril 07, 2010

Benda Bilili - grande música, alma enorme



Vêm cá tocar no festival de Músicas do Mundo, em Sines, no próximo Verão.

terça-feira, abril 06, 2010

Cowboys ininputáveis

Vídeo dramático que revela bem a estupidez da guerra, principalmente quando feita por soldados mentecaptos. As vítimas, todas civis, foram confundidas com guerrilheiros, apesar de nenhum deles ter tido qualquer acção ameaçadora.
As armas, afinal, eram máquinas fotográficas e de filmar...



Nenhum dos soldados norte-americanos responsáveis por este massacre será alguma vez julgado por um tribunal internacional. Os Estados Unidos protegem os seus assassinos e não permitem que algum deles seja julgado fora do território americano.
Como me dizia hoje um colega de trabalho, esperemos que os remorsos e os pesadelos lhes tornem a vida num inferno e se acabem por suicidar um dia destes.

domingo, abril 04, 2010

A Man With a Dream

Foi o último discurso em 3 de Abril de 1968, 24 horas antes de ser assassinado.

sábado, abril 03, 2010

Mulher

Durante semanas estava em todo o lado. Alegrava os tempos de espera nas paragens do autocarro e nas estações do metro. Animava a paisagem citadina nos cruzamentos, nas rotundas. Íamos à janela do escritório e lá estava ela, na esquina, com aquele olhar terno. Lisboa foi... uma cidade mais acolhedora. Depois, desapareceu. Tiraram-na. Mas ficou-nos na memória. E aqui, e no Face... e no Youtube

quinta-feira, abril 01, 2010

Estimado cliente


O resultado líquido consolidado do Montepio Geral atingiu no ano passado os 44,5 milhões de euros, o que correspondeu a mais 31,3% face ao ano precedente, anunciou o banco em comunicado à CMVM – li no Jornal de Negócios, datado de 11 de Março de 2010.
O resultado líquido do Millennium BCP ascendeu a 225,2 milhões de euros no ano passado, uma subida homóloga de 11,9 por cento, acima do esperado pelos analistas contactados pela Lusa – escreveu-se no Expresso em 10 de Fevereiro passado.
Citando a Lusa, ainda, o Expresso dizia em 18 de Fevereiro que “a Caixa Geral de Depósitos obteve um resultado líquido de 278,9 milhões de euros em 2009, menos 39,2% face ao ano anterior”. Resultado líquido quer dizer lucro, acrescento eu.
Em 27 de Janeiro, o ionline publicou que “os lucros do Banco Espírito Santo (BES) subiram 29,8% em 2009, atingindo os 522,1 milhões de euros e superam as estimativas dos analistas que esperam resultados na ordem dos 495 milhões de euros”.
E podia continuar por aí fora, com os lucros do Santander, do Finibanco, do Barclays, do BBV, do BPI… menos do BPN e do BPP que sobre esses é preciso ler relatórios de polícia.
Vem isto a propósito de uma missiva que recebi do “meu” banco. Reza assim: "Estimado Cliente, Informamos que a comissão de manutenção será actualizada no dia 1 de Abril de 2010. A Comissão de Manutenção, aplicada às contas à ordem, é cobrada trimestralmente e o seu valor passa a ser de 5€ para um envolvimento comercial entre 2.000€ (inclusive) e 3.000€, de 10€ para um envolvimento comercial entre 1.000€ (inclusive) e 2.000€ e de 15€ para um envolvimento comercial inferior a 1.000€. Para um envolvimento comercial superior a 3.000€ está isento desta comissão.”
Traduzindo, se tem muito dinheiro não paga nada. Se tem pouco, paga muito. Moral da história: não há moral. Fazem lucro à conta do dinheiro dos pobres.

domingo, março 28, 2010

Benfica... TV (?)

Modo peculiar de "dar" um jogo de futebol na televisão... Nunca tinha visto coisa tão estúpida.
E tão inútil. Foi assim durante 90 minutos, mais os descontos.

sexta-feira, março 26, 2010

Brincando

Brincando com as imagens e os sons... que sempre é melhor que chorar...

domingo, março 21, 2010

Pertinho do céu (onde se ouve a electricidade passar nos cabos de alta tensão)

Não é só bom (muito bom) estar com os meus filhos. É bom estar assim:

Quem nos defende da polícia?



Há um silêncio que me incomoda e não posso ser cúmplice de tamanha cobardia. Há dias, um polícia matou um cidadão que não obedeceu à ordem de parar o carro. Poucos se arrepiaram com isto, e até me parece que muitos estarão com pena do coitado do polícia que alega nunca ter tido treino de tiro e, até, de não saber utilizar a arma. Eu diria que… não parece. Um único tiro contra um carro em fuga e foi o suficiente para matar o condutor. Revela belíssima pontaria e extrema destreza no manuseamento do instrumento. Azar? Azar teve o que morreu…
Claro que a corporação policial cerrou fileiras em torno do seu polícia, ajudando a fazer passar a ideia de que será ele a verdadeira vítima deste infeliz incidente e que o outro se não parou é porque tinha algum peso na consciência.
Pois, dou de barato as razões que levaram a vítima mortal a não obedecer à operação stop. Por si só, isso não justifica que um polícia dispare contra alguém. É que quando se dispara uma arma, corre-se o risco de matar. Já no tempo da “outra senhora” a GNR disparava para o ar e havia sempre um alentejano que morria. Era no tempo dos famigerados “alentejanos voadores”.
Não quero que esses tempos voltem.


segunda-feira, março 15, 2010

Publica e notoriamente antiquados

O jornal Público gaba-se de ter seis milhões e meio de leitores online por mês, mas poderia ter o triplo se houvesse alguma estratégia para a Web naquela redacção. Se há, não se nota...
Para além de alguma actualização do noticiário ao longo do dia, o jornal pouco mais faz para agradar aos leitores. É uma espécie de serviço mínimo que facilmente será ultrapassado por quem souber fazer mais e um pouco melhor. Exemplo… a página de vídeos, hoje, teve direito a 5 vídeos novos: Laetitia Sadier , a voz dos Stereolab a solo em Portugal (um vídeo retirado do YouTube); LCD Soundsystem (outro vídeo retirado do YouTube); a morte do actor Peter Graves (igualmente retirado do YouTube); uma historieta sobre um cantor russo (do YouTube, também); um institucional sobre a peça Rei Édipo, em cena no Teatro Nacional Dona Maria II (fonte: Ípsilon). Ou seja, estamos no reino do “faitdivers” e quem quiser ver notícias com imagem terá de continuar a ligar a televisão – ainda devem pensar assim, lá em Picoas.

quarta-feira, março 10, 2010

terça-feira, março 09, 2010

Sarmento não era escuteiro


A minha avozinha dizia que quando se “zangam as comadres, descobrem-se as verdades”, e não é que é verdade? Vejam só o que foi dizer ao Parlamento o presidente da PT, Henrique Granadeiro… que, quanto a pressões governamentais, sim tinha sentido, mas no tempo do Governo de Durão Barroso quando o ministro que tutelava a Comunicação Social, Morais Sarmento, tentou obrigar a PT a despedir três directores de jornais pertencentes ao grupo Lusomundo, a saber… Leite Pereira, Pedro Tadeu e Joaquim Vieira. Na sequência dessas pressões, Granadeiro pediu a demissão do cargo para não ter que aturar mais aquele ministro. Lembro que foi Morais Sarmento quem saneou Emídio Rangel, apenas porque aquele director da RTP não lhe “aparava os golpes”.
Seria isto um plano arquitectado para controlar os media?

Fraquinho


Então, respigando o que foi dito por Moniz no Parlamento, temos que, em tempos, ainda Sócrates era só ministro do Ambiente, terá tentado evitar a emissão de uma reportagem sobre um aterro sanitário algures no Alentejo… e que, António Costa, na época em que era ministro da Administração Interna, terá tentado impedir uma outra reportagem, alegando que estava cheia de incorrecções. Neste segundo caso, temos que a suspeita foi investigada, mas as investigações judiciais acabaram por dar razão ao ministro e arquivaram o caso.
É isto o arquétipo de um plano para controlar a comunicação social? Parece-me fraquinho…

segunda-feira, março 08, 2010

Não


Bom… ando com uma neura que nem posso. Tudo me irrita. Acho que é da chuva que não pára de cair. Já não sei quem me contou a graçola, mas que tal se puséssemos um contador da EPAL na chuva e mandássemos a conta para o S.Pedro?…
Irrita-me a perspectiva de ter de pagar mais do que a conta por esta crise para a qual eu e os meus pares nada contribuímos. Os bancos andaram a vender quimeras, os capitalistas engordaram pecúlios e quando ficou à mostra a mentira do sistema financeiro… põem-me uma conta à frente para pagar. Não quero pagar isto.
Não quero ficar com um salário cada vez mais magro, não quero ter de pagar cada vez mais, quando tenho de ir a um hospital do Estado nem quando envio os meus filhos para a escola pública. Não quero ver o Estado desfazer-se de empresas que constituem a própria essência do Estado… de que me serve que o Governo privatize a GALP, a REN, a CGD, a EDP?... se, com isso, nenhum dos serviços que essas empresas prestam vai baixar?
Estou cansado. Deve ser da chuva que não pára de cair…

domingo, fevereiro 28, 2010

Estou Farto de Chuva

Euskadi Ta Askatasuna


Um tipo que se chama Ibon Gogeascoechea foi preso em França. Leio nos jornais que é o “chefe”, o “nº1” da ETA. Periodicamente, os jornais anunciam a detenção de chefes da ETA. Os governos espanhóis, de direita ou de esquerda e desde os tempos da ditadura, prometem uma solução definitiva para a questão basca e… falham. Hoje, Espanha tem aliados em todo o lado, nomeadamente nos países vizinhos, Portugal e França prendem bascos e extraditam-nos. Tratam-nos como se fossem criminosos comuns. Mas não são. E enquanto a questão basca não for encarada como um problema político, não haverá solução.
Espanha tem mais de 800 bascos encarcerados. Os bascos não são mais de 3 milhões… ou seja, 2,7% dos bascos estão presos… Se isto não é um problema político, não sei o que será… Gostaria de ver a comunidade internacional preocupada com esta questão, preocupada em encontrar uma solução negociada e não, apenas, preocupada em esmagar um anseio de Liberdade que, olhando para a História dos povos, jamais será completamente afogado.

terça-feira, fevereiro 23, 2010

Sei que há léguas a nos separar...Tanto mar, tanto mar...


Encostado ao balcão de atendimento ao cliente, no Continente de Loures/Odivelas.
A um metro e meio de mim, um casal espera para ser atendido. Uma funcionária aproximou-se e a senhora perguntou se tinham fichas de inscrição para candidatos a um posto de trabalho ali no supermercado. A funcionária diz que sim e entrega-lhe uma folha. Informa que terá de juntar fotocópias do BI e do cartão de contribuinte. A senhora abana com a cabeça e volta a colocar uma questão:
- Sabe se vocês pegam brasileiros?
A funcionária ficou a pensar e respondeu que, “por acaso”, não tinham nenhum brasileiro a trabalhar ali naquele supermercado. Mas que isso não queria dizer que não contratassem. No fundo, ela não sabia.
A senhora brasileira sorriu, agradeceu e foi embora. A ficha de inscrição ficou em cima do balcão.

Fellatio sem fumo


Associar o consumo de tabaco a sexo forçado é uma idiotice. Para alguns publicitários não é. Em França, foi agora apresentada uma campanha anti-tabaco que provoca essa associação. Uma das fotos da campanha mostra um rapaz a ser “conduzido” para um fellatio… embora tenha um cigarro na boca.
A ideia dos publicitários é chocar. São peritos nessa área. Mas, sinceramente, associar o fellatio ao cancro que o cigarro provoca é coisa que me indigna. Diabolizar o sexo é uma idiotice. Para deixar de fumar, não precisamos de abandonar o sexo. Eu já deixei de fumar há uns anos e continuo a foder. Embora com mais parcimónia….

sábado, fevereiro 20, 2010

Notícia escrita por um "pé de microfone"


Acho fantástico que um jornal (qualquer um) faça eco de declarações deste tipo sem as contraditar. Para quem não sabe, o Governo regional paga, sustenta, é a razão de ser do Jornal da Madeira. Deste modo, apesar de ter um preço de capa (meramente simbólico) o jornal é, de facto, oferecido pelas esquinas do Funchal a todos quantos o queiram ler. Deste modo, AJJ não só tem o jornal nas mãos como mata qualquer tentativa de concorrência que surja. É que mais barato que o JM não é possível. Melhorzinho já não seria difícil...

quinta-feira, fevereiro 18, 2010

sábado, fevereiro 13, 2010

Pinheiro Chagas dixit (muy antigo Primeiro-Ministro)


Está absolutamente demonstrado que só os poderes enfraquecidos perseguem a imprensa e, por outro lado, está igualmente demonstrado que nem por isso se tornam mais robustos e que, ao contrário, acabam quase sempre por se declarar vencidos. Só os poderes enfraquecidos temem a imprensa porque a imprensa não é para temer. - João Pinheiro Chagas (1863/1925)

quinta-feira, fevereiro 11, 2010

Liberdade em perigo? Ou Justiça em perigo?


Há aqui um paradoxo absurdo neste drama das escutas do caso “Face Oculta”. Por um lado, os envolvidos pela suspeita querem que os preceitos legais do segredo de justiça não sejam aplicados, que as transcrições sejam integralmente publicitadas e publicadas na imprensa. O juiz que tem o caso não deixa. Simultaneamente, ele ou alguém que tem acesso ao processo, passa para os jornais excertos das escutas, parcelas que não sabemos bem se estão descontextualizadas ou, mesmo, se são verdadeiras. Se a coisa fosse feita às claras, seria o próprio juiz, ou alguém por ele, a validar as transcrições, a colar o selo e a remeter o envelope para as redacções. E evitava-se este estendal à volta de um segredo de justiça que ninguém respeita e evitavam-se providências cautelares e alegações de que a liberdade de expressão está em perigo.

terça-feira, fevereiro 09, 2010

Ali Babá


Sócrates tem de perceber que de nada lhe serve condenar o mensageiro, quando o autor da mensagem prossegue impune. E também tem de perceber que de nada lhe serve argumentar contra o crime da publicação de escutas, mesmo que tenham sido escutas ilegais, se o conteúdo dessas conversas for política ou socialmente relevante. A velha máxima de que “à mulher de César não lhe basta ser séria, tem de parecer séria” aplica-se que nem uma luva a este primeiro-ministro.

segunda-feira, fevereiro 08, 2010

terça-feira, fevereiro 02, 2010

Calhandreiros

O Mário Crespo tem o direito de escrever o que lhe vai pela alma e o primeiro-ministro o direito de pensar que o Mário é um “débil mental”. Isto não significa que aquilo que o Mário escreveu seja verdade nem que o primeiro-ministro tenha o direito de considerar o jornalista como “um problema a solucionar”.
O problema é que esta história é, de facto, uma “calhandrice” e descortinar a verdade é das tais tarefas difíceis de concretizar, até porque cada qual tem a sua… O Mário considera a fonte credível e publicou. Mas pode estar a beber de uma fonte “inquinada”, isso não podemos avaliar porque o Mário não a revelou. Só o facto da crónica ter sido publicada num site do PSD indicia o aproveitamento político da questão.
Para mim, trata-se de um fait divers pouco dignificante. Para todos os intervenientes.
Ainda assim, acho que devemos escutar o piar do pássaro. Não para o repetir, mas para aprender.

domingo, janeiro 31, 2010

Manif muito sonora, em Belém

Reportagem de telemóvel em punho.

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Propaganda


A notícia vem em todo o lado. A empresa que lançou este novo "electrodoméstico" não podia esperar melhor propaganda. Jornais, rádios e televisões encharcaram-nos com o nascimento desta "coisa", como se isto viesse contribuir para a felicidade de mais alguém além do dono da dita empresa...

E a propaganda é de tal ordem que o dado mais interessante não é divulgado: o preço.

segunda-feira, janeiro 25, 2010

Transportes Aéreos Pedantes


Estes tipos da TAP não se enxergam...
Conversa sobre a TAP no Facebook dá origem a sanção - Economia - DN
Esta história é de um pedantismo insuportável.

sexta-feira, janeiro 22, 2010

Coice

Como se o grande coice da Terra não nos tivesse acertado em cheio na alma, no ânimo, na fé…
O que fazer, agora, com tantos funerais? Qual deles escolher...?








clicar na imagem

quinta-feira, janeiro 21, 2010

Política americana no Haiti (no século XX)

Catana e roda dentada


Eu acho o homem sincero. Não é um democrata e não pretende fingir. Suporta a oposição política na medida em que ela se deixe comprar por um punhado de diamantes de sangue, tolera alguma imprensa maledicente porque não tem modo de a calar sem provocar alarme social e alarido político internacional, mas não pretende passar por aquilo que não é.
Eleições livres são uma chatice, obrigam a calcorrear o país, a apanhar poeira nos musseques e a implementar um esquema para as aldrabar. Depois vêm os observadores internacionais, outros chatos. Depois há que encenar toda aquela pose de político amigo do povo. Mais vale assim. Não há e acabou-se.

segunda-feira, janeiro 18, 2010

Tarde e a más horas


Agora que aconteceu o irreparável, somos todos solidários com o Haiti. Antes, quando os haitianos eram só pobres e explorados pelas mais infames ditaduras, ninguém lhes ligava.
Morreram sabe-se lá quantos, falam em 100 mil… porque as casas lhes caíram em cima com o tremor de terra. Casas mal feitas, com mais areia que cimento, sem requisitos técnicos para zonas sísmicas.

Noutros locais mais afortunados, o mesmo sismo não teria provocado mais do que um pequeno incómodo. Na Califórnia ou no Japão, sismos de grau 6 ou 7 da escala de Richter já não estragam grande coisa. Cai uma ou outra empena e só os muito azarados levam com um tijolo em cima. Em países pobres, daquela pobreza imensa e endémica, morrem aos milhares.
E, agora, já há dinheiro para ajudar, para dar de comer, para criar infra-estruturas, escolas, hospitais… dinheiro que antes nunca houve. E, por isso, o povo continuou ignorante, passivo, marginal, rebanho ao dispor da ganância dos canídeos selvagens a que costumamos chamar lobos. O subdesenvolvimento é tudo isto.

sábado, janeiro 16, 2010

quinta-feira, janeiro 14, 2010

Grippe A : fin de l'épidémie


A epidemia da gripe A… acabou… pelo menos em França – dizem os médicos franceses.
Espero que em Portugal a sorte do vírus não seja diferente.
Agora, Sarkozy tem 70 milhões de doses de vacina para saldar…
Acho que por cá também há umas sobras, não?

quarta-feira, janeiro 13, 2010

enviem livros para Timor

pedido chegado por email:


"Caros amigos,
Alguns sabem e outros nem por isso (e assim aqui vai a notícia) mas estou em Timor a dar aulas na UNTL (Universidade Nacional de TimorLeste) no âmbito de uma colaboração com a ESE do Porto. Aquilo que vos venho pedir é o seguinte: livros. Não vou dar a grande conversa que é para montar uma biblioteca ou seja o que for, porque não é. O que se passa é o seguinte... não sei muito bem como funcionam as instituições, nem fui mandatada para angariar seja o que for, mas o que é certo é que sou (somos!) muitas vezes abordados na rua por pessoas que desejariam aprender português mas não possuem um livro sequer e vão pedindo, o que é mto bom. O que é certo é que a minha biblioteca pessoal não suportaria tanta pressão e nem eu, nos míseros 50 quilos a que tive direito na viagem, pude trazer grande coisa para além dos livros de trabalho de que necessito.
COMO MANDAR? Basta dirigirem-se aos correios (CTT) e mandarem uma encomenda tarifa económica para Timor (insistam porque nem todos os funcionários conhecem este tarifário!) e mandam a coisa por 2,49 €. Claro que a encomenda não pode exceder os 2 quilos para poder ser enviada por este preço. Devem enviar as encomendas em meu nome (Joana Alves dos Santos) para: Embaixada de Portugal em Díli, Av. Presidente Nicolau Lobato, Edifício ACAIT, Díli - TIMOR LESTE
E O QUE MANDAR? Mandem por favor livros de ficção, romances, novela, ensaio, livros infantis etc, etc. Evitem gramáticas e manuais escolares. Dicionários, mesmo que um pouquinho desatualizados são bem vindos. Este critério é meu e explico porquê. Alguns timorenses (estudantes e não só) são um bocado fixados em aprender gramática mas ainda não têm os skills básicos de comunicação. Parece-me melhor ideia que possam ler outras coisas, deixar-se apaixonar um bocadinho pelas histórias mesmo que não entendam as palavras todas, do que andarem feitos tolinhos a marrar manuais e gramáticas. O caso dos dicionários é outro. Um aluno, por exemplo, usa um dicionário português-inglês para tentar adivinhar o significado das palavras. Como o inglês dele tb não é grande charuto imaginam como é a coisa.
Bom, espero ter vendido bem o peixe do povo timorense. Falam pouco e mal mas na sua grande maioria manifesta simpatia pela língua portuguesa. De qualquer forma isto não vai lá (muito sinceramente) com umas largas dezenas de professores portugueses por cá. É preciso ter a língua a circular em vários meios e suportes. Espero que respondam ao meu apelo!! Eu por cá andarei sempre com um livrito na carteira para alguém que peça!
beijos grandes

j."

segunda-feira, janeiro 11, 2010

Vitorino à solta, Marcelo sem escolha


O inefável Marcelo e o cerebral Vitorino deixam de ter, em breve, espaços privilegiados de opinião na televisão pública. Os respectivos programas terminam e não voltarão a ser repostos. “Notas Soltas” termina a pedido do próprio Vitorino, já o outro termina para a RTP evitar novas críticas da ERC que, em tempos, considerou que o solo de Marcelo na RTP representava um atentado ao pluralismo político.
Aliás, o pensamento da ERC (pelo menos do seu presidente) é claro: “custa aceitar que não existam em Portugal representantes das correntes democrata-cristã, comunista, trotskista - só para citar algumas - com competência para fazer comentário político em televisão”, disse Azeredo citado, agora, pelo Público.
Vão ver que é desta que Garcia Pereira vai ter direito a palanque no horário nobre da estação pública… a bem do pluralismo. Por acaso… se alguém quisesse dar a machadada final no PC… era a jogada a fazer.

sábado, janeiro 09, 2010

Cão e gatilho


Tudo indica que Manuel Alegre está prestes a anunciar a sua candidatura às próximas eleições presidenciais. O evento aproxima-se e Alegre precisa de ir ocupando terreno (leia-se atenção dos media) para tentar apresentar-se como alternativa real ao actual PR. Não li a entrevista do Expresso. Não dou dinheiro aquele tipo e a edição online só tem trampa e lantejoulas no acesso gratuito.
Mas Cavaco leu, pela certa. Para ele ainda não chegou o dia. O cadeirão é dele e não há memória de um presidente que não tenha conseguido a reeleição para o 2º mandato. Cavaco espera por uma oportunidade. Dizem que será na visita do Papa a Portugal, em Maio próximo. Os salamaleques foram combinados entre a Presidência portuguesa e o Episcopado. Até houve uma aparente indelicadeza de Cavaco, quando o anúncio da visita foi feito primeiro pela Presidência, sem esperar (como seria protocolar) pelo comunicado dos bispos. O Papa será, assim, a espoleta da campanha de Cavaco, o que será uma definitiva separação de águas perante um adversário laico, republicano e socialista.

Ideias purificadoras

Rectificar significa emendar, corrigir alguma coisa que está errada. Isto, em linguagem corrente. No meio científico, rectificar pode significar purificar, nomeadamente quando se pretende depurar algum componente químico de um líquido, destilando-o.
Dito isto, chego a pensar que aquilo que aparentemente é uma gralha do Diário de Notícias (no título do inquérito que promove hoje na edição online), pode não ser. Não faltam por aí apologistas do veto presidencial à lei que legaliza o casamento gay. Seria uma maneira de rectificar algo impuro.
Mas, já agora, reparem no "andamento" do inquérito (a meio da tarde de hoje): o "não" vai à frente com 672 votos, o que significará que existem mais leitores do DN a preferir que Cavaco "rectifique" as intenções dos partidos da esquerda parlamentar que votaram a favor do casamento gay.
Vamos ver o que faz Cavaco.
Mas, espero que a gralha seja mesmo gralha e que a ideia teria sido escrever ratificar (que significa confirmar, validar). É mau errar no vocabulário, mas é pior fazer de um jornal papel impróprio até para embrulhar castanhas assadas.

quinta-feira, janeiro 07, 2010

qui trompe qui?


Sócrates foi a Paris fazer pela vida. Desconheço em absoluto de que tratam as negociações com Sarkozy… e suspeito que, seja lá o que for, o francês não dará muito crédito ao português.
Os franceses têm uma ideia generalizada sobre nós que abona pouco a nosso favor. Em tempos, sentado ao balcão de um bistrot parisiense, escutei a conversa de dois vizinhos. Um deles tinha um carro velho que queria vender. O outro dizia-lhe que iria ser difícil desfazer-se do calhambeque. O primeiro explicou que tinha um esquema pensado: iria pintar de fresco o carro e colocar-lhe um ailleron… e, depois, “je vais faire un portugais!” Logo nós, que temos a mania de que somos mais espertos que os outros… no centro da Europa somos tomados por lorpas.
Bom. Põe-te a pau, Sócrates! Não vás na conversa desse tipo.

terça-feira, janeiro 05, 2010

O preconceito


Também tenho opinião sobre a questão do referendo ao casamento gay. Sou contra. Acho que ninguém tem que se meter num contrato entre duas pessoas.
Se as organizações religiosas rejeitam casamentos entre pessoas do mesmo sexo, é lá com essas organizações e as pessoas que as integram. Mas daí a quererem intrometer-se na orientação do Estado regulando o casamento civil…
Acho lastimável que os partidos da direita estejam a utilizar este assunto para fazer política. Tudo isto apenas serve para acicatar os homofóbicos e os dissimulados que têm raiva em ser gays…
Se este referendo for avante, cria-se um antecedente perigoso. É que, depois, que argumento vão eles utilizar para impedir outros referendos ofensivos dos direitos humanos? Ou vamos referendar também, por exemplo, a expulsão dos pedintes e dos sem abrigo do centro das cidades? São tão incomodativos e sujos, não é…? Ou vamos referendar a introdução de uma sharia qualquer para castigar os adúlteros? Que mau exemplo essa gente dá, não acham?

segunda-feira, janeiro 04, 2010

"scanners" para ver o corpo inteiro nos aeroportos


É o Público quem o diz: "Os aeroportos britânicos vão ser equipados com scanners que permitem visualizar todo o corpo dos passageiros"... (...) ... "O anúncio feito ontem pelo primeiro-ministro, Gordon Brown, e segue-se a idêntica iniciativa das autoridades holandesas, que fixaram um prazo de três semanas para a adopção de scanners corporais completos no aeroporto de Schiphol, em Amsterdão, na sequência da tentativa, no dia de Natal, de um suspeito de ligação à Al-Qaeda fazer explodir um avião de passageiros que ligava a cidade a Detroit, nos EUA"... (...) ... "A Alemanha poderá adoptar os scanners, mas está a avaliar os efeitos na privacidade dos passageiros, e a Itália pondera fazê-lo em Roma e Milão. A Nigéria já anunciou a intenção de dotar os seus aeroportos com aparelhos do mesmo tipo."
Trabalhar na Polícia de Fronteiras vai ser um posto muito pretendido...

sábado, janeiro 02, 2010

Serôdio


Não gostei da mensagem de Ano Novo do senhor Presidente da República. Achei o discurso um somatório de frases feitas, ideias repetidas e “bocas” atiradas para a plateia, sem destinatário certo. O Presidente não teve peito para chamar os bois pelos nomes e foi pena. Além disso, detectei algumas contradições. Por um lado, Cavaco diz que devemos ter cuidado na aplicação do dinheiro público e por outro lembra-nos que “possuímos uma longa História de que nos orgulhamos, porque no passado não tivemos medo”. Ora, esse passado glorioso deveu-se ao atrevimento sem limites dos dirigentes da época que, se tivessem tido cuidado, nunca se teriam lançado numa aventura desmedida e, à partida, nada apropriada a um pequeno país, pobre e semi-despovoado como era Portugal no século 15. Cavaco nem teria molhado os pés na rebentação suave do Atlântico…
Foi, enfim, um discurso em louvor de si mesmo. Cavaco começou por lembrar que há um ano tinha avisado de que 2009 iria ser um ano difícil e, agora, veio cobrar-nos essa premonição fácil. No final, disse que “no meio de tantas incertezas, os Portugueses podem ter uma certeza: pela minha parte, não desistirei e nunca me afastarei dos meus deveres e dos meus compromissos.” Que bom, fiquei aliviado…

sexta-feira, janeiro 01, 2010

Índio quer fumaça...

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores