Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











terça-feira, março 09, 2010

Sarmento não era escuteiro


A minha avozinha dizia que quando se “zangam as comadres, descobrem-se as verdades”, e não é que é verdade? Vejam só o que foi dizer ao Parlamento o presidente da PT, Henrique Granadeiro… que, quanto a pressões governamentais, sim tinha sentido, mas no tempo do Governo de Durão Barroso quando o ministro que tutelava a Comunicação Social, Morais Sarmento, tentou obrigar a PT a despedir três directores de jornais pertencentes ao grupo Lusomundo, a saber… Leite Pereira, Pedro Tadeu e Joaquim Vieira. Na sequência dessas pressões, Granadeiro pediu a demissão do cargo para não ter que aturar mais aquele ministro. Lembro que foi Morais Sarmento quem saneou Emídio Rangel, apenas porque aquele director da RTP não lhe “aparava os golpes”.
Seria isto um plano arquitectado para controlar os media?

2 comentários:

José Teles disse...

Boa memória, Carlos. A tua e a do Granadeiro. Sou de um tempo em que sempre que mudavam os governos mudavam os directores de informação da RTP. O Moniz, por exemplo, esteve lá com a AD, voltou quando o Cavaco correu com o Bloco Central.
abs

Maria Henriques disse...

Morais Sarmento garante que nunca pressionou a PT.
Engraçado.Criticam e atacam Sócrates mas para se defenderem dizem o mesmo que Sócrates

Morais sarmento não deve ter ficado nada agradado com os recados de Granadeiro que a ele dizem respeito.
http://apombalivre.blogspot.com/2010/03/morais-sarmento-garante-que-nunca.html

AddThis

Bookmark and Share

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores