Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











sábado, fevereiro 13, 2010

Pinheiro Chagas dixit (muy antigo Primeiro-Ministro)


Está absolutamente demonstrado que só os poderes enfraquecidos perseguem a imprensa e, por outro lado, está igualmente demonstrado que nem por isso se tornam mais robustos e que, ao contrário, acabam quase sempre por se declarar vencidos. Só os poderes enfraquecidos temem a imprensa porque a imprensa não é para temer. - João Pinheiro Chagas (1863/1925)

4 comentários:

健康保寶 disse...

^^ 謝謝你的分享,祝你生活永遠多彩多姿!........................................

Fada do Bosque disse...

O outro POLVO que ainda nos consome, com os mesmos actores políticos ainda no activo, o caso Irongate, que seria bom não esquecer como tudo aconteceu, pois foi assim que há muito perdemos a nossa Democracia. Tudo não passa de uma conspurcada e nojenta Máfia, tipo a siciliana. Será que este povo quer ser governado? se sim, não parece. Hoje estamos muito pior do que aquilo que imaginamos, à custa deste tão enraízado e viciado bloco central. Agora se os outros são melhores? gostaria de saber. Mas 30 anos a caminhar para uma ditadura destas, é obra!

dedo politico disse...

Carlos,

Uma máxima interessantíssima!

Mas, se é certo que quem persegue a imprensa são os governos fracos, também é certo, que a imprensa (sabe-se lá controlada por quem)que passa vida a vitimizar-se, também não se torna mais robusta (pelo contrário)!

Será que, se João Pinheiro Chagas tivesse conhecimento dos factos politicos que se vão passando nos nossos dias e conhecendo a qualidade da imprensa nacional existentes, teria mantido este 'dizer'?

A credibilidade, destas duas 'instituições' não será a mesma?

inominável disse...

por acaso, até nem concordo de forma tão às cegas com o Pinheiro Chagas. acho que esconde ou escamoteia o poder que a imprensa tem e a forma como pode ser manipulada. como a maior parte dos aforismos, pode ser visto de várias maneiras. e juntando todas as várias interpretações, o mais vulgar é chegar a aporias...

para o poder temer a imprensa, teria de haver uma imprensa forte (que não é o caso). estamos perante duas forças, não só enfraquecidas, como pouco credíveis.

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores