Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quinta-feira, janeiro 21, 2010

Catana e roda dentada


Eu acho o homem sincero. Não é um democrata e não pretende fingir. Suporta a oposição política na medida em que ela se deixe comprar por um punhado de diamantes de sangue, tolera alguma imprensa maledicente porque não tem modo de a calar sem provocar alarme social e alarido político internacional, mas não pretende passar por aquilo que não é.
Eleições livres são uma chatice, obrigam a calcorrear o país, a apanhar poeira nos musseques e a implementar um esquema para as aldrabar. Depois vêm os observadores internacionais, outros chatos. Depois há que encenar toda aquela pose de político amigo do povo. Mais vale assim. Não há e acabou-se.

4 comentários:

zeparafuso disse...

E de quem á a culpa?

PQ disse...

Excelente.

Aristes disse...

E na Alemanha e na Itália, para já não falar da Inglaterra, Holanda e Espanha, os chefes de estado são eleitos por sufrágio directo?

Ao rei de Espanha quem o pôs lá foi o fascista Francisco Franco.

jawaa disse...

Nasci lá.
Durante muuuuitos anos disse alto que era o único homem na terra a quem era capaz de dar um tiro. Na calma.
Agora não. Deixem lá estar o bicho. Já tem a barriga cheia e vai deixando escorrer alguma coisa em favor da terra. Se vai para lá outro, volta tudo ao princípio.

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores