Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











sábado, dezembro 31, 2005

As Prisões Secretas

No início deste mês, o mediador da ONU no Kosovo, Marek Antoni Nowicki afirmou ter visto uma prisão "sem controlo jurídico" e semelhante à de Guantanamo na base militar norte-americana de Camp Bondsteel, no Kosovo. "O que víamos na prisão era semelhante às imagens que conhecemos de Guantanamo", declarou o jurista polaco ao diário alemão Berliner Zeitung, a propósito da visita que fez a Camp Bondsteel em finais de 2000 ou princípios de 2001.
O testemunho de Marek Antoni Nowicki coincide com outro feito por Álvaro Gil Robles, comissário para os direitos humanos da Comissão Europeia, que também visitou em tempos a base militar de Bondsteel, no Kosovo.
Temos, portanto, que existe uma prisão no campo Bondsteel há vários anos que não é submetida a nenhum controlo externo, civil ou jurídico. O problema, do meu ponto de vista, é que a presença dos americanos no Kosovo é feita sob mandato das Nações Unidas… e se eles têm uma prisão secreta onde praticam tortura e mantêm suspeitos detidos sem culpa formada, o mandato da ONU está a ser exorbitado e deturpado pelos EUA.
Depois destas declarações, o porta-voz das tropas norte-americanas no Kosovo, comandante Michael Wunn, negou a existência de qualquer prisão secreta em Bondsteel.

Também eu estive em Camp Bondsteel em 2001. Não vi nenhuma prisão mas, como civil, os meus movimentos dentro da base eram muito limitados. O que posso afirmar é que aquilo pode conter várias cadeias, tal a dimensão da base. Para lá entrar tive de pedir um passe especial, só entrei porque fui acompanhado por oficiais portugueses integrados na KFOR e foi-me proibido filmar ou fotografar fosse o que fosse, nem mesmo para recuerdo. Bondsteel tem 300 hectares, uma imensa pista de aviação e aquartelamentos para 6 mil homens. Fica perto de Urosevac (nome sérvio), localidade que hoje se chama Ferizaj. O Kosovo, província da Sérvia de população maioritariamente albanesa, é administrado pelas Nações Unidas desde o fim da guerra, em 1999. Para garantir a paz e a estabilidade mantêm-se no território cerca de 17.000 soldados da NATO, 2.000 dos quais norte-americanos.

Sem comentários:

AddThis

Bookmark and Share

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores