Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quinta-feira, dezembro 03, 2009

Lobos disfarçados de cordeiros


Sim, o que aconteceu na Suiça foi a expressão democrática da maioria da população que votou naquele referendo. Mas depois desse referendo, a Suíça ficou um país menos democrático. Bastante menos. E se a direita política continuar a utilizar a Democracia para implantar xenofobia, racismo e medo, os regimes democráticos deveriam pensar no modo de impedir que isso aconteça.
Enfim, existe uma maneira, mas não vejo que se caminhe para lá. Seria preciso que o bem-estar geral da população fosse suficiente para tornar infértil a sementeira da intolerância. Isso implicaria uma redistribuição da riqueza feita noutros moldes e duvido que os marajás estejam para aí virados.

8 comentários:

BANTABÁ disse...

O Hitler também chegou ao poder por via democrática.

Fada do bosque disse...

O problema, é que tudo se começa a repetir num ciclo 60 anos. Não vejo forma de dar a volta... será que alguém vê?
Democracia? onde está?
Eu só tenho perguntas...
E xenofobias com islãmicos, parece-me que é um "pouco" como... brincar com o fogo! ou talvez com bombas!

Fada do bosque disse...

Mais uma opinião sobre o assunto:

http://www.noticiaslusofonas.com/view.php?load=arcview&article=24783&catogory=Opini%E3o

Eduardo Miguel Pereira disse...

A democracia, como já muitos disseram, é a Ditadura das Maiorias, e por isso mesmo muitas das vezes pode ser preversa.
Eu entendo, e revejo-me naquilo que o Carlos aqui expôs, mas não é menos verdade que muitas das vezes somos tentados a considerar anti-democrático aquilo que para nós, para a nossa cultura e para os nossos hábitos, não seja agradável, confortável, simpático.
Se a maioria dos Suiços, que seguramente têm uma visão bastante diferente da nossa relativamente às questões religiosas e culturais, decidiu que não "gosta" de minaretes, que legitimidade teremos nós de pôr em causa essa decisão ?
Eu não concordo com a decisão (maioritária) deles, mas ainda assim não acho que eles se tenham tornado menos democráticos.
Menos correctos aos meus olhos sim, menos democráticos não !

Motim disse...

Foi a democracia que baniu os minaretes, através de referendo. Não será que o problema está na democracia?

CN disse...

Tolerar o que nos é estranho, tentar perceber o Mundo em toda a sua diversidade, implementar soluções adequadas para os problemas, ensinar (não impor) e aprender (sem nos submetermos), entre outras coisas é que é exercitar a Democracia. Acrescento que implementar um referendo sobre questões de consciência, é uma ideia absurda e que só pode dar maus resultados...

Fada do bosque disse...

Carlos e não estarão eles à espera, desses maus resultados, para poderem usar os "brinquedos"?
Já dá, é para desconfiar de tudo!

Paulo disse...

Fez-se um enorme ruído por causa de um problema de barulho. O referendo começou por ser uma simples reacção de um grupo de pessoas numa determinada localidade que não queriam o minarete, para não terem de ouvir o "muezzin" de madrugada a chamar os fiéis para a oração. As autoridades locais analisaram o caso e verificaram que não podiam impedir a construção sob pena de estarem a violar a lei geral do país no que diz respeito à liberdade de culto. Foi então que alguém resolveu fazer o tal referendo. Assim, aquilo que mais não devia ser do que uma simples formalidade a ser gerida pela municipalidade tornou-se numa questão nacional. É estúpido! Demais!
Abraço.
Paulo Dentinho

AddThis

Bookmark and Share

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores