Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quinta-feira, maio 31, 2007

Arquivos da Humanidade

Há um livro, recentemente editado, que deveria ser de leitura obrigatória para todos. Todos, sem excepção. Cada página desse livro é uma lição de coragem e desassombro.
Comprei-o agora e ainda nem o li. Mas fiz a experiência de o abrir à toa, aleatoriamente. Na página 282, por exemplo, li o seguinte:

“Ao que acabo de referir sobre a situação tão precária dos Direitos Humanos para boa parte da população mundial, como se já não bastasse, temos de acrescentar, como factor particularmente nefasto para a situação actual dos Direitos Humanos no mundo, a vigente, perversa e espúria tendência, assumida às claras, de se substituir a força do Direito pelo direito da força que gera, ipso facto, como corolário imediato e infelizmente amiúde observado, o surgimento de caldos políticos incentivadores ou permissivos à tortura com comportamentos particularmente desumanos, cínicos e hipócritas que importa desde já estigmatizar e arquivar na nossa memória colectiva a fim de que não possam ser negados amanhã por aqueles que os estimularam, defenderam e praticaram recorrendo a todo o tipo de manipulações, mentiras e demagogias fossem eles governantes, políticos, “pensadores”, analistas, jornalistas, polícias ou militares… Dispondo de arquivos, a sociedade humana democrática poderá confrontá-los, assim o entenda, com as suas atitudes passadas.”

O autor de “Gritos contra a Indiferença” é Fernando Nobre, presidente da AMI, uma daquelas pessoas de quem eu gostaria de ter oportunidade de ser amigo e não apenas conhecido.


7 comentários:

isabel victor disse...

"substituir a força do Direito pelo direito da força"

É verdade. Toda a verdade !
Tenho um enorme apreço pelo Fernando Nobre.

Maite disse...

Caro CN

Homens e mulheres do calibre de Fernando Nobre precisam-se urgentemente.

Um livro a ler, sem a mínima dúvida.

Boa noite para si

SpiKe disse...

Já tive a felicidade de conhecer pessoalmente o Dr. Fernando Nobre.

Além de um grande Homem, é um grande Médico. Muito se pode aprender com pessoas como o Dr. Nobre, infelizmente são mais relevantes as transferências de jogadores de futebol.

Repórter disse...

Não é bem assim, caro spike. Nunca vi um hospital com o nome de um jogador de futebol. Já vi (vejo) um hospital com o nome de um ex-cirurgião, de referência. O Professor Fernando Fonseca. O hospital é o erradamente chamado de Amadora - Sintra.
Mas percebo o que o amigo quer dizer...

inominável disse...

eu sou daquelas pessoas sempre prontas a admitir em público a sua ignorância... não conheço. vou comprar o livro... lá para setembro...

a não ser que alguma alma mo queira enviar para terras alemãs ;)

Zé Cortes disse...

Sigo o seu comentário e comprei o livro. vou lê-lo.

inominável disse...

bom, tenho sorte com os amigos que a vida me ajudou a fazer: levaram-me o livro para Grenoble... c'est comme ça...

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores