Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











segunda-feira, março 02, 2009

Na morte de Nino e de Tagma



O que eu podia escrever hoje, já escrevi aqui em 19 de Abril de 2006. Quem diria...
E quem diria, ainda, que a nova morgue de Bissau iria ser devidamente "inaugurada" com os cadáveres destes dois irmãos desavindos, abraçados num ódio de morte até ao fim?

4 comentários:

CCF disse...

Quando é que este tipo de ódio vai acabar? Quem lucra com ele? E quem perde?
~CC~

Isabela disse...

Hoje ouvi as notícias às 8 da matina no carro, como é costume, e pensei logo em ti, nos teus textos sobre a Guiné-Bissau.
O ciclo traição-vingança tem mostrado que a democracia não existe em África. E isso chateia-me bestialmente, porque, mesmo com falhas, não há outra forma de governação. Feudalismo, é o que eles querem?

Fuzileiro disse...

Deve haver quem chore a morte de Nino Vieira; contudo, nao serei um deles.Servi na Guine nos Fuzileiros Africanos, DFE 21, muitos dos quais foram barbaramente assassinados pelo Nino.

Quem com ferro mata ...

Fuzileiro

g. disse...

bem que o Tagma dizia "eu e o Nino estamos unidos para a vida e para a morte"

e depois... quem com ferros mata com ferros morre...

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores