Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quarta-feira, novembro 04, 2009

ou "No Cu de Judas"...


Extracto de um email que um amigo me enviou:


... nem toda a gente saberá: "Face Oculta" é o nome da mais luxuriante casa de alterne de Aveiro. Fica na Barra, virada para a ria e é lá que no segredo da noite católicos inimputáveis consomem a melhor febra brasileira, russa e ucraniana. Lembro-me de outros casos de investigação policial com nome de casa de alterne... Diamante negro, seria?

Fico a pensar... não haverá aqui uma questão semântica? Será que o léxico policial reflecte o universo em que a corporação se movimenta? Tenho para mim que investigação policial a sério, neste país, só a teremos quando as polícias conseguirem subir um degrau no patamar da nomenclatura. Fico à espera do caso "A Cidade e as Serras" ou d' "O Auto da Barca" e então passarei a confiar na polícia de investigação portuguesa.

Abraços.

J

18 comentários:

Fada do bosque disse...

Precisávamos era desta investigação!

http://paramimtantofaz.blogspot.com/

Fico danada, por não conseguir fazer um link directo para este post, nos comentários!...
O Carlos não me pode ajudar?
Realmente seria importante...

Eduardo Miguel Pereira disse...

De facto, se não subirem rapidamente o tal degrau na escala da nomenclatura, estaremos á beira de um dia destes acordar com uma operação "largo do rato", que é, de há muito, a zona mais mal frequentada de Lisboa !

CN disse...

Fada, tem de falar com o frederico para ele permitir links. bj

CN disse...

Eduardo, a graçola teria mais laracha se o meu amigo tivesse encontrado algum título livreiro para representar esse seu desejo.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Está visto que estou mais talhado para o Stand-up que para génio literário, mas ainda assim atrevo-me a propôr o titulo :

"Os miseráveis"

Que me perdoe o Victor Hugo !

Rui Herbon disse...

Peço desculpa por meter-me na conversa, mas não resisto: que tal "A ratoeira", da Agatha Christie? "Operação ratoeira" parece-me bastante bem, apesar de nada ter contra o largo e menos ainda contra os ratos.

José Teles disse...

"Católicos inimputáveis consomem a melhor febra brasileira" - nem penses! Se são católicos vão todos para o Inferno. Os que não são é que se safam. Dizem-me. Eu cá não digo nada que a minha sócia é fã do teu blog, Carlos.

Fada do bosque disse...

Pronto!... Surripiei um pouco do texto, só que os links que mostram os documentos... ficaram lá. )

"Em Setembro, será recordado o início da guerra entre Iraque e Irão e, a 2 de Outubro de 2010, podemos nós lembrar a reunião secreta entre Henry Kissinger e o ministro da Defesa português, Adelino Amaro da Costa (que o ex-chefe de Gabinete, Coronel Hugo Rocha, revelou na sua autobiografia), onde o ex-secretário de Estado dos EUA pediu que Portugal não fornecesse armas ao Irão durante a guerra contra o Iraque e assim manter a pressão na negociação da libertação dos reféns norte-americanos. A 18 de Outubro, podemos especular durante a passagem dos 30 anos da alegada reunião entre elementos da candidatura presidencial Republicana (entre os quais o próprio candidato a vice-Presidente, George Bush) e enviados iranianos, em Paris, para discutir a entrega de armas norte-americanas ao iranianos caso estes não libertassem os reféns antes das eleições nos EUA. E, finalmente, daqui a um ano a 4 de Novembro de 2010, serão assinalados os 30 anos da derrota eleitoral de Jimmy Carter frente à dupla Reagan/Bush. A 20 de Janeiro de 2011, vamos ainda evocar os 30 anos da tomada de posse de Ronald Reagan como presidente dos EUA e, no mesmo dia, os 30 anos do fim do cativeiro dos reféns do Irão...

Mas, antes disso, há que lembrar uma outra data com 30 anos, esta portuguesa mas igualmente relacionada com o tráfico de armas norte-americanas para o Irão: 4 de Dezembro de 1980. E um nome: Camarate..."

Frederico Duarte de Carvalho

Porque é uma coisa destas sempre arquivada?
Uma pergunta a que ninguém responde. Ninguém tem de prestar contas... é que nem bode expiatório arranjam. Eu não esqueço.

cão sem raiva disse...

Tirem-me lá esse assento do cu...

cão sem raiva disse...

Bem, talvez seja mais fácil tirar o cu do acento...

CN disse...

pois... só que cu pede acento...

Fada do bosque disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cão sem raiva disse...

Agora sem acento o meu jogo de palavras já não tem piada.
Volte lá a pôr o acento...

Brinco. Cumprimentos.

C NARCISO disse...

Ao ler este post sou invadido por 1 milhão de sensações e ideias- nenhuma delas boas ou agradáveis.
Em primeiro lugar, como apuraram quem deu o nome à dita operação?
Pq a Polícia? pq não o MP ou outra entidade qqer??
Em segundo lugar, o q é q importa o nome atribuído à operação?
Em terceiro lugar....
(para quando investigação policial a sério?!?!?!?!)
Pois neste país podre, a investigação criminal (policial) é das poucas coisas q ainda vai funcionando! Apesar de todas as limitações e entraves, faz-se boa investigação criminal em Portugal.
Quero perguntar: pq é o autor deste e-mail se preocupa em falar do nome da operação, da "investigação policial séria" e não fala dos corruptos (políticos) que estão na origem da operação e que proliferam no nosso país?????
Será q é "in" falar mal das Polícias? Será q não têm coragem de falar dos políticos e dos seus "tentáculos" ou "ligações tentaculares"??
Muita coisa funciona mal neste país. Na investigação, as Polícias são o elo mais fraco. Pq não se diz mal dos péssimos Procuradores do MP; dos Juízes; dos Deputados; de tantas outras pessoas e interesses que fazem com que a Investigação Criminal / Justiça não obtenha os resultados (entenda-se condenações) esperados?
Pq não se diz que os arguidos estão sobre-protegidos; que existem demasiadas formas de recursos e outras "manhas" que impedem que os poderosos sejam condenados?

Quero deixar aqui uma palavra ao "locatário" deste blog, pessoa que, pessoalmente, responsabilizo por muitos dos problemas que se vivem hoje em Portugal- a nível de segurança interna- o "locatário" e a estação de TV SIC, que nos anos 90 deram a voz a traficantes, ladrões e afins, provocando uma mudança de políticas que resultou na perda da força/eficácia das autoridades policiais. Foi com esse malogrado programa que traçaram o destino do país e fizeram os alicerces para os problemas de criminalidade que se sentem hoje.
Para terminar: o problema não está na Investigação que se faz! Está no que acontece (não acontece) nas instâncias seguintes!!!
Estamos (ainda) num país livre e esta é a minha opinião.

CN disse...

Nem todos os tipos que se chamam C.Narciso podem ser inteligentes... paciência, o que se há-de fazer?

C NARCISO disse...

rsrsrs (muitos risos)

Sr. C. N., quero dizer-lhe que fiquei mt surpreendido ao ver que publicou a "minha opinião", ainda q tenho sido para deixar um comentário..."jocoso" mas, afinal, está em sua "casa"...
Acho q o insulto é a arma dos ignorantes, contudo, não creio que seja o seu caso- certamente pessoa mt culta e ocupada, pelo q, não terá tido tempo para responder de outra forma...
Como diz uma amiga minha- "até mais..." e "ver-nos-emos" por aí...
(sempre a considerá-lo)
Bom FDS.

CN disse...

Tem razão, caro homónimo, tenho pouco tempo e quase nenhuma paciência para aturar idiotas. E é como diz, estou em minha casa e quem vier por bem será bem tratado, quem vier com patadas há-de levar algumas também.

joshua disse...

Um grande abraço, Carlos!

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores