Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quinta-feira, abril 26, 2007

A resignação e o inconformismo

Cavaco não põe cravos na lapela e não gosta das comemorações do 25 de Abril. Disse-o ontem, quando presidia às ditas celebrações por mera obrigação do ofício, como se depreende. Não gosta e não se resigna e, então, quer mudar tudo, quer alterar o ritual, quer modernizar a coisa, pelo que percebi. E falou da necessidade dos jovens não se resignarem perante a mediocridade vigente.
Cavaco também não gosta de manifestações e, por isso, não alinhou na descida da Avenida da Liberdade, um outro modo de celebrar o 25 de Abril muito do agrado de milhares de cidadãos, como se viu. Lá estiveram alguns dos que já tinham estado nas comemorações oficiais realizadas no Parlamento. Foi o caso dos capitães de Abril, os tais que não se conformaram com a situação em 1974 e fizeram cair o regime. De manhã estiveram em São Bento a escutar o Presidente da República, de tarde juntaram-se ao povo que festejava.
Alguns dos participantes desta passeata acabaram por passar a noite nos calabouços da polícia. Parece que se excederam nos protestos contra o racismo e a xenofobia emergentes na sociedade portuguesa. Segundo a polícia, cerca de 150 pessoas, "extremistas com simbologia anarcolibertária", pertencentes a movimentos antiglobalização, iniciaram uma marcha rumo à Praça Luís de Camões, no Chiado. Uma marcha não autorizada, faz notar a polícia. A coisa tinha de acabar mal, porque tanto inconformismo também não.

8 comentários:

-pirata-vermelho- disse...

O que são símbolos anarcolibertários?

São os símbolos anarquistas, históricos, misturados ou fundidos com símbolos do comunismo de Bakunin?
Mas o comunismo libertário não exibia símbolos distintos, pois não?

Parece que a senhora comissária de polícia reinventou a história numa doutrina híbrida

Luis disse...

Eu percebo a contradição, mas o que eu hoje ouvi na TSF foi que foram detidas algumas pessoas por causarem desacatos nas lojas do Chiado que por sinal são propriedade privada.

Se se tivessem apenas enganado no caminho seria outra história ...

inominável disse...

será mais um caso de "olha pró keu digo, não olhe spró keu faço"?

um dia destes, o senhor presidente vai confessar outras coisas de que tb não gosta... nomeadamente que usem o nome dele com letra minúscula, em entrada de dicionário, ou que o confundam com o Primeiro Ministro que já foi, ........

magnolia disse...

A PSP prendeu os manifestantes e, por outro lado, protegia os apoiantes do nazismo e a extrema direita.
Precisamos de outro 25 de Abril sem dúvida.

ricardo disse...

Vejo, mesmo que por entre uma penumbra estaladiça, que algo se move, que algo mexe contra a letargia de sacristia freak-chick dos dias de hoje. Há uma rapaziada que anda a escapar ao controlo dos inteligentes de esquerda estratégica colocada nas muitas comunicações sociais. É bom sinal. Veremos se dura!

ricardo disse...

Vejo que, mesmo por entre a penumbra estaladiça freak-chik, algo se move, algo mexe contra a mortiça modernidade de sacristia antiga. Que há uma malta que está a escapar ao controlo de uns inteligentes colocados nas muitas comunicações sociais pela esquerda estratégica de hoje. E também que esta malta já não anda atrás de uns tipos e umas tipas "interessante-escabeche" de pacote e já saltam a terreiro para lhes dizer o que lhes vai na alma. Que estão a sair debaixo do xanax que lhes foi oferecido pelo poder, com objectivo sucesso até agora, de amortecer o despertar através da palavra e do visual dos tais inteligentes freak-chiques. Nomes há muitos, nem vale a pena dizer, mas a ainda(??) "senhora de..." é ma delas. E a bastonada é apenas o plano B. Veremos quanto dura.

Rosa dos Ventos disse...

Este Presidente tem o dom de me irritar!

Isabela disse...

Eh lá, então "cerca de 150 pessoas, "extremistas com simbologia anarcolibertária", pertencentes a movimentos antiglobalização, iniciaram uma marcha rumo à Praça Luís de Camões, no Chiado. Uma marcha não autorizada"?!
Grave. Muito grave. É que fosse para dar porrada num pretos, e isso, ainda se justificava! Agora...
Não há disciplina! Não há ordem!

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores