Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











domingo, abril 15, 2007

A mudança da maré

O tom do que se escreve nos jornais já não é o mesmo. Por exemplo, hoje, o Diário de Notícias tem duas prosas favoráveis ao Primeiro-Ministro e o Público limita-se a descrever, pela enésima vez, as incongruências entre os vários certificados de habilitações de José Sócrates, nada que lhe possa ser imputado directamente.
No PSD, Marques Mendes está praticamente a falar sozinho quando exige um inquérito independente ao dossier académico do Primeiro-Ministro.
Quando isto tudo acabar, vão sobrar os escombros da Universidade Independente e pouco mais. Dirão que a universidade não merece viver, que tem de pagar caro pela desorganização evidente em que viveu durante estes anos todos. Talvez. Mas é irónico que a encerrem quando, finalmente, parecem existir condições para a reorganizar. E quanto aos direitos dos actuais alunos, o silêncio dos governantes permanece.
Ainda quanto à desorganização da Independente, gostaria de ver a mesma justiça ser aplicada a outras instituições de peso bem maior na organização do Estado português. É que também a Assembleia da República não sabe explicar como foi que o registo biográfico de José Sócrates aparece emendado, limitando-se a afirmar que é impossível indagar porque já se passaram muitos anos. Se uma universidade privada tem a obrigação de preservar a integridade dos seus arquivos, a mesma obrigação se exige, por maioria de razão, à Assembleia da República. Ou não?

9 comentários:

-pirata-vermelho- disse...

Sim, claro, por maioria e por maior razão!

A.A.Barroso disse...

Essa irreprimível necessidade de vingança não lhe fica bem. Ninguem é solidário com quem rapou o tacho e vem dizer mal de quem lhe deu a comida. Quanto a ética... estamos conversados

CN disse...

Senhor Barroso, tenho de lhe dizer que não estou a vingar-me de ninguém, pela simples razão que não é caso disso. Acontece, simplesmente, que sou um homem livre e falo do que me apetece e faço o que a consciência me dita. Por isso já dei alguns trambolhões na vida, mas há coisas que um homem não consegue deixar de fazer, quando tem de o fazer. É o meu modo de estar na vida. O seu não sei qual é, mas não será por isso que vou começar a insultar a sua fraca inteligência. Devo avisá-lo que este blogue não é propriamente uma república. Aqui mando eu. E comentários seus com insultos não serão doravante publicados.

António disse...

Regressei após um longo período sabático. Faça o favor de vir à minha "casinha" fazer-me uma visita que a sua presença é sempre bué de agradável.
Aquele @bração do
Zecatelhado

Barão da Tróia II disse...

Apesar de discordar de muito do que o actual PM tem feito, numa coisa tenho de anuir, o homem foi do melhor que passou pela cadeira nos últimos 20 anos, daí que à falta de lhe pegarem pela determinação e concretização de objectivos que deseja, a triste caterva de incapazes, que vegeta pela oposição ensarilha pela questão da formação, arrastando assim uma instituição, quiçá haja coragem para denunciar outros casos idênticos e outras instituições com os mesmos pecadilhos. Boa semana.

Isabela disse...

Por acaso não tenho esta ideia. Tenho lido e ouvido muito mais opiniões desfavoráveis.
Um amigo meu dizia-me que as pessoas informadas não deixariam passar contradições, mas que o homem da rua desvalorizaria - nem isso aconteceu!
Ao contrário do que a maior parte das pessoas pensava, a entrevista não calou bocas. Não é possível. O gato está escondido com sete rabos de fora.

Para os alunos tudo isto é desastroso. Seria sensato deixá-los acabar os semestres, ao menos.

Carlos Alberto disse...

Um Blogue interessante de visitar

http://raulventuramartins.blogspot.com

mmclsdn disse...

Eh, sr.barão... estava eu para comentar, mas resolvi ler os que estavam e o sr. disse o que eu pensava, sem ainda o ter expresso.
Plenamente, inteiramente e tantos outros adjectivos de concordância consigo.
Faço minhas as palavras de nobre barão. Estou em tom de brincadeira pk quando fico sériamente preocupada dá-me para isto, mas o CN só publicará se assim o entender. Um abraço MMN

inominável disse...

nunca sei se é mudança de maré ou um novo dilúvio... estranha toda esta situação vista daqui... felizmente, parece que os alemães têm mais com que se preocupar (por exemplo, como« os discursos laudatórios a ex-Nazis recentemente falecidos) e ficam todos melindrados com a sua auto-imagem... nós não nos livramos de governos deste tipo e eles não se livram daquela imagem que tentam a todo o custo exorcizar...

parece é que o Tempo tem influências diferentes: para nós, olhos postos no passado; para eles, um olhar projectado numa memória futura...

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores