Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











sábado, outubro 07, 2006

O reptilário (em festa)

Há 14 anos atrás, a SIC dava-se a conhecer, com a Alberta Marques Fernandes (a apresentar um noticiário intercalar a meio da tarde), com uma reportagem da Cândida Pinto sobre o deflagrar dos conflitos em Luanda e, pouco depois, na estreia do célebre programa Praça Pública, com uma reportagem minha e do Carlos Aranha sobre a seca no Alentejo. Mais tarde, o José Alberto Carvalho, no Jornal da Noite…
Hoje, nenhum destes protagonistas está lá. Não estamos lá, nem (logicamente) fomos convidados para a festa pimba com que a SIC pretendeu maravilhar o povoléu. Nem nós, nem qualquer um dos outros de quem o patrão se livrou nos últimos 4 anos.

A verdade, de qualquer modo, é que os trabalhadores já há muito que deixaram de participar nestes festejos da empresa. Deixaram de ter motivos, ou vontade, para tal. Cansaram-se do Bolo Rei e do Moet Chandon. O patrão, hoje, só conta com as "estrelas"... e, mesmo essas, pelo menos uma boa parte, apenas por dever de ofício.
O ambiente de trabalho, na SIC, está um deserto.

6 comentários:

Ana Afonso disse...

Olá Carlos
Um deserto seguramente onde Flores ... Feias brilham :)
Como se diz em bom português "os cães ladram e a caravana passa"
Um excelente fim de semana
Abraços e sorrisos
ana afonso

inominável disse...

é pena e apenas mais um reflexo das tristes paisagens públicas (e afinal reflexo das privadas) portuguesas...

é pena porque estamos a falar dos media e, quer queiramos, quer não, são eles que constróem e legitimam o conhecimento que circula nas massas...

se te deixa contente, fica a saber que não tenho televisão.

Ida disse...

As metáforas (reptilário, deserto, etc) estão de uma precisão milimétrica, e adequação total. Conheço um jornalista português, muito querido, que concorda, de certeza.
É uma experiência para os neurônios e para o coração vir aqui. Abraços, deste sulbúrbio.

Aprendiz Maçon disse...

Carlos,
O "Senhor do bolo" está cada vez mais sem bolo....qualquer dia fica-se pelo "queques".
è uma pena ver tantas pessoas com talento a serem dispensadas.

Um abraço
Bruno

jornalista disse...

Olá Carlos...

Há uns meses deixei-te aqui uma pergunta. Para quando um livro?

Se cada uma das tuas reportagens são verdadeiras histórias que nos comovem .... imagina-as juntas num livro...

Espero resposta positiva ....

Também sou jornalista .... a SIC é fastfood...pra quê perder tempo.

felicidades

jornalista disse...

sabe bem ... vir aqui...para refrescar da redacção...para aprender, para conhecer o mundo pela tua mão Carlos!

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores