Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











sábado, dezembro 23, 2006

Desabafo

Ontem enviei 4 fotos do telemóvel para o meu e-mail da Netcabo. Como as fotos não chegaram, apesar de ter recebido um relatório da TMN a dizer que estavam entregues, telefonei a reclamar. Do serviço de atendimento esclareceram-me que o problema não era deles, mas sim do servidor de Internet que utilizo. Explicaram-me que eles, TMN, enviam as mensagens para o servidor, no caso a Netcabo, que fica encarregue de as distribuir. Portanto, a culpa seria deles, servidor de Internet. Aconselharam-me a ligar para a Netcabo, ao que respondi que era um pouco estranho ir reclamar à Netcabo de um serviço que pago à TMN e não à Netcabo… mas enfim.
Telefonei para a Netcabo. Expliquei o que vos acabei de contar. Disseram-me que não, que a culpa não seria deles, antes da TMN… Fiquei muito cansado, de repente… Perguntei como fazer para uma reclamação formal. Deram-me o endereço electrónico vocacionado para receber queixas e reclamei para lá. Passado umas duas horas, talvez, recebo uma resposta da Netcabo com o seguinte teor:

“Estimado Cliente,
Na sequência do seu contacto, que desde já agradecemos, comunicamos que para procedermos à análise da ocorrência, necessitamos que nos reenvie, por favor, o presente e-mail com a seguinte informação:
Nº de Cliente
Nº de Bilhete de Identidade
Nº de Identificação Fiscal
Nº de série do equipamento (encontra-se na zona inferior do equipamento)
Mac-Adress (número que se encontra na zona inferior do equipamento)
Serviço que possui.”

Não acham estranho que a empresa que me vendeu o referido equipamento (modem) e que me cobra religiosamente a factura mensal não saiba do meu número fiscal ou do meu número de cliente, do número de série do equipamento e do número MAC (seja lá isso o que for) nem, sequer, qual o serviço que possuo (e que eles me prestam e pelo qual se fazem cobrar)? Acham isto normal? Ou será só para irritar o parceiro, que estas empresas se entretêm com estas merdas? Desculpem, mas não há espírito natalício que aguente…

10 comentários:

Ida disse...

Como te entendo! Parece haver um modus operandi disseminado planetariamente entre as empresas e seus serviços de telemarketing, SAC, SAP, ou seja lá que raio de sigla utilizem para atender aos clientes. Nada disso é normal, mas ficamos sempre com a sensação de que há algo que nos escapa e não sabemos qual a parte da frase O cliente tem sempre razão nós não estamos entendendo. Ou que simplesmente caiu em desuso, apesar da DECO (em PT) e do PROCON (no BR) terem surgido para nos facilitar a vida e dar mais algumas garantias. Teoricamente.

Su disse...

isso infelizmente é o dia a dia de todos os pts ..andarem jogados dum lado para outro...e esses pedidos de esclarecimento é só para nos levarem à exaustão....e acabamos dizendo merda e .ok ..pin..ok..a vida continua....continua assim.... neste país.....

de qq modo passei para desejar felicidades.. boas festas.....

jocas maradas e sim ..natalicias

-pirata-vermelho- disse...

É um estereótipo descaracterizante e irritante na forma e uma atitude que me parece abusiva; já a encontrei em outras empresas. - lembro-me que rejeitei a exigência e reclamei o tratamento adequado. Deram a resposta devida... sem mais perguntas. É todavia um procedimento padrão que os funcionários aplicam 'às cegas' e em um dos casos tropecei numa menina diligente que minsistia na fórmula, mecanicamente.
Mudei de canal, resolvi a questão técnica e expus a menina hierarquicamente.
Tudo isto a expensas minhas em custos (d)e tempo dedicado, claro; um ónus adicional, indevido.

É de rejeitar veementemente por inaceitável.

Denudado disse...

O serviço de "atendimento do cliente" das empresas é cada vez mais assegurado por outras empresas, cuja finalidade é sacar umas massas a gerir uns contact centres, onde exploram uns jovens que trabalham quase sempre com vínculo precário e que pouco ou nada percebem dos assuntos, nem estão nisso interessados porque dali a meia dúzia de meses estão outra vez na rua. Não adianta, por isso, barafustar com eles ao telefone ou por quaquer outro meio.

Tanto a TMN como a Netcabo pertencem ao Grupo PT, grupo esse que tinha um provedor de telecomunicações. Digo "tinha" e não "tem", porque me parece que esse provedor já não existe. Assim, talvez a melhor entidade a quem reclamar seja o Instituto do Consumidor ou a Anacom.

O número MAC (iniciais de "Media Access Control") é um número único e irrepetível que todo o equipamento que seja susceptível de ser ligado em rede (Internet, redes de computadores ou outro tipo de rede qualquer) tem que possuir. Cada computador, cada impressora, cada disco rígido, cada telemóvel, etc., tem que possuir um "endereço MAC" para que possa ser reconhecido pelo restante equipamento da rede, sem que haja quaisquer possibilidades de ser confundido com outro equipamento qualquer. Até um frigorífico ou torradeira que, eventualmente, possa ser ligado à Internet tem que ter um "endereço MAC" que, repito, é único e exclusivo.

Maite disse...

Caro CN

Passei para lhe desejar um Feliz Natal.

Frankenstein da Silva disse...

Carlos,

Mas o pior mesmo é quando, numa situação do género, apresentas uma queixa à ANACOM (repito: A-N-A-C-O-M), a quem cabe (supostamente...)regular o bom funcionamento do mercado e assegurar que os fregueses são bem servidos.

Aconteceu-me com os CTT (2 cartas de condução extraviadas, dadas como «entregues»... embora, nos CTT, ninguém saiba a quem). Durante meses, queixas feitas aos balcões dos CTT, ao provedor dos CTT, ao Inst. do Consumidor e à ANACOM. Ninguém mexeu uma palha.
Guardo religiosamente as cartas dessas entidades, dando conta que «os serviços estão a acompanhar a situação».

É triste, mas é a realidade. Somos um país de malfeitores, apenas com uma única missão: sacar dinheiro (deve ser genético).
Inventam-se entidades, organismos, secções, cargos de chefia, provedores... Para quê?! Mas qual é o resultado prático disto?!

Mas pior, pior... é ver que há todo um país que resiste. Aqui ficamos no nosso cantinho, impávidos e serenos, à espera de melhores dias. Pagamos e não reclamamos. E pensar que houve toda uma geração que andou a fazer o 25 de Abril para dar nesta bela merda...

Abraços.

Fino disse...

Meu caro Carlos Narciso, que o Natal lhe traga um conjunto de coisas boas como amizade e justiça...
Kandus

Isabela disse...

A ideia é desistirmos de reclamar, a ideia é não termos direitos, apenas obrigações. Estou farta destes gajos todos!

ELCAlmeida disse...

Caro Carlos Narciso, compreendo perfeitamente a sua desilusão e raiva (acho que o termo é mesmo este); já se passou o mesmo comigo com o batráquio (SAPO.pt) da mesma holding (gosto desta palavra, não sei porquê) PT. Os pedidos era quase iguais.
Mas quanto à Netcabo não me surpreende a não chegada de e-mails porque enviei a algumas pessoas e-mails de boas festas para a extensão "@netcabo.pt" e o retorno era do mais hilariante: ou não existiam (fartos de receberem meils meus) ou o e-mail sapo.pt (?????) enviado não existe.
Bom, o que vale é que estamos num período de festas e por isso aqui vai o meu voto de que o melhor de 2006 seja o pior de 2007.
Felicidades e Bom Ano.
Eugénio Almeida

Movimento Pela Net Mais Barata disse...

Não fiquem apenas a lamentar-se. Estamos a recolher assinaturas para lutar contra esse tipo de posturas.
Manifestem-se!

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores