Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











terça-feira, dezembro 19, 2006

Mas que lindo canteiro a vizinha tem

Segundo um artigo on-line do Guardian, há cada vez mais cidadãos norte-americanos a cultivar marijuana em vasos ou no quintal das traseiras. A dimensão da coisa é tal que, segundo o artigo, a produção caseira de marijuana ultrapassa todas as outras, se não em tonelagem, em valor da mercadoria. Isto é, estima-se que a colheita deste ano de marijuana caseira seja superior a 35 milhões de dólares (o valor de revenda será muito superior) enquanto que, por exemplo, o milho terá uma colheita de 23 milhões e o feijão de 17 milhões. Não é fantástico? Tantas muralhas erguidas na fronteira com o México, tantos bombardeamentos com químicos sobre a Colômbia e, afinal, a produção está disseminada pelos canteiros de flores das donas-de-casa e pelos vasos dos celibatários de Manhattan…
Continua o artigo a dizer que a colheita de marijuana caseira será a maior de todas em doze estados, incluindo a colheita de amendoim da Geórgia e a de tabaco nas Carolina Norte e Sul.
O artigo baseia-se num relatório recente (Marijuana Production in the US) feito pela organização DrugScience que luta pela legalização da marijuana e, portanto, tudo isto podem ser dados manipulados… mas lá que tem piada, isso tem.

12 comentários:

karla disse...

Que tem piada, tem. Até porque um vasinho ou um canteiro, não fazem grandes traficantes, mas podem fazer a boa disposição de alguns.

Irritadinha disse...

De facto a noticia é engraçada, atrevo-me a dizer, pitoresca. Depois das belas sardinheiras nas janelas portuguesas, e da bandeira, pode-se seguir janelas adornadas com marijuana (acho que escrevi bem).

Isabela disse...

Eu própria gostava que alguém me desse um pezinho, porque tenho muito jeito para a jardinagem de interiores.

inominável disse...

será que ela se dá em canteiros mais frios??? tenho a casa aquecida, mas ainda assim...

e partilho o pedido da Isabela... um pezinho seria suficiente... e ficaria bem acompanhado ao lado do mangericão e do timo... tudo erva fresca, portanto!

Mário Costa disse...

É bombardear essas donas-de-casa! Nada de contemplações. Se os afegãos e os iraquianos nada fizeram e sofreram bombardeamentos maciços, porque não fazer o mesmo a megeras hedonistas? Enquanto as meninas curtem, os desgraçados dos governantes têm de se preocupar com a segurança e com o terrorismo. Não pode ser.! Fuck 'em!

Paulo A. Videira da Costa disse...

Deste-me um soco, Carlos! força, pontaria, tudo num só golpe. Mas se não fosses amigo, também te digo, o teu lugar mais seguro era um covil de répteis!

Paulo Costa

Barão da Tróia II disse...

Cá pela provínciaa coisa é mais às claras; há creca de 3 anos foi destruida uma plantação da dita ervinha, ( cerca de 400 plantas), escondida no meio de um milheiral, o proprietário declarou que era para consumo próprio, mas quos os caracóis e os coelhos comiam grande parte da produção, bem o fartote de anedotas que surgiu nessa altura. Bom Natal

Phwo disse...

Se calhar só pretendem fazer umas camisolitas para o Natal. Afinal já existem roupas "ecologicamente sustentadas". ;-)
Acabam-se as vovós antigas, acaba-se o tricot com lã...

LA disse...

Custa-me muito a crer que os americanos consumam mais marijuana do que milho! Os gajos vão muito ao cinema, comem muitas pipocas, muitos cornflakes, e ainda têm que acomodar as galinhas todas com milho, para os chicken burguers, mais os porcos! Milho, toda a gente e animal come, mas droga... Tó diabo! E como é que uns vasos de uns drogadecos podem produzir mais valor do que campos enormes lavrados com tractores?
E no Guardian, diz que a coisa vale uns 600 contos por kilo, no produtor! Eu conhecia uns passadores que arranjavam um kilinho por uns 200 contecos, não tou a perceber para que é que os gajos se dão ao trabalho de a plantar, mais vale comprar da que vem de Marrocos!
Para os interessandos, a maneira mais fácil de fazer plantação é comprar umas gramas no dealer da esquina, guardar umas cabeças, que têm as sementes, e semear lá para Março ou Abril.
Boas mocas!

Ida disse...

Não sei quanto às estatísticas, se serão verídicas ou não, mas o fato é que meus alunos da Califórnia lidam com muita naturalidade com o fato de que em várias cidades do estado, a começar por Berkeley, há uma cultura local de se plantar maconha em casa. Há mesmo um "eco" mercado onde se vendem todo tipo de produtos que têm por base a tão discutida plantinha. Como se vê, a incoerência está disseminada na cultura americana, e o discurso oficial é capaz de fazer rir até o mais lunático adolescente.

Ida disse...

Acabo de ver o comment do "la"... assino em baixo, milho é que é... rolei de rir.

Rui Pedro disse...

Do it yourself !

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores