Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











sexta-feira, dezembro 01, 2006

A justiça dos vencedores

O comandante do cerco a Sarajevo, entre 1992 e 1994, o general sérvio Stanislav Galic, foi condenado em 2ªinstância do Tribunal Penal Internacional à prisão perpétua.
Galic tinha sido condenado a 20 anos, na 1ªinstância, recorreu e viu a pena agravada. É bem feito. Quem lá esteve sabe que é. Raramente vi tamanha desumanidade. Também, raramente vi tamanha tenacidade.

no centro de Sarajevo

Sarajevo sofreu um cerco de 44 meses, o mais longo cerco a uma cidade desde o fim da II Guerra Mundial. No fim, quase só restaram escombros. Morreram dezenas de milhar de habitantes. Muitos morreram à vista de toda a gente. A cobertura mediática daquela guerra foi de tal forma que poucas coisas aconteciam sem que se soubesse logo.


na morgue
Contribui modestamente para essa denúncia. Mas, ainda hoje, questiono como foi possível que, apesar disso, apesar das centenas de jornalistas que lá estiveram sempre, como foi possível deixarem aquilo acontecer? O general sérvio foi bem condenado pela sua competência assassina. Mas, talvez, outros devessem ser julgados por negligência assassina.

2 comentários:

Ida disse...

Teu texto lembrou-me, instantaneamente, esse trecho de um rock dos anos 80:
Quem ocupa o trono tem culpa
Quem oculta o crime também
Quem duvida da vida tem culpa
Quem evita a dúvida também tem


A banda era "Engenheiros do Havaí".

PS: As fotos são de cortar a alma, imagino as que não vi, e outras que vi tb me vêm à lembrança.

inominável disse...

Como diz a minha mãe, "tanto é ladrão como o que rouba, como o que fica a guardar a porta". Neste caso, tanto é assassino quem mata, como quem deixa matar.

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores