Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quinta-feira, fevereiro 19, 2009

Acontece muito a quem não sabe



Extracto do texto (Um think thank para melhorar as instituições públicas) publicado hoje no Público. O texto tem três particularidades: é assinado pelo próprio director do jornal; é louvaminheiro; tem um erro tantas vezes repetido que não pode ser gralha, apenas ignorância.

Por isso, em vez de financiar uma fundação para promover obras sociais ou fomentar a cultura ou a investigação científica - "para isso já existem outras" -, a família optou por uma espécie de think thank. Mas não exactamente um think thank, como os muitos que existem na Europa e nos Estados Unidos."Por regra, os think thanks prosseguem uma agenda política ou ideológica específica", explica António Barreto, que presidirá à administração da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Até parece que de tanto querer agradar, acabou obrigado obrigado obrigado e venerando… e baralhou-se todo... tropeçou no thank you boss e dali não conseguiu sair... acontece...

Sem comentários:

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores