Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quarta-feira, junho 28, 2006

Congo, ano 2000. Claudino

Em Bondo, encontrei outro missionário português. Vivia em Bambilo, a um dia de distância, se a viagem fosse feita de carro ou a cinco dias de caminho, se o percurso fosse feito a pé. Claudino Gomes foi a Bondo para participar na reunião a que já me referi antes e para nos conhecer, também.De todos os missionários que conheci, até hoje, Claudino é o que mais me impressionou. Tenho tido muita dificuldade em falar dele, porque temo ir cometer alguma injustiça em relação a outros. É que eu acho que Claudino deve estar muito próximo da santidade. É que, com ele, a vida não é só abnegação, compromisso, dádiva, sofrimento e rezas. È que ele ri muito. Tem quase sempre um sorriso na cara. Gosta de tocar nas pessoas, abraça-as, pega-lhes ao colo, beija-as. Acho que ele tem um amor genuíno pelas pessoas com quem vive e a quem tenta minorar as dificuldades do quotidiano.
Vou tentar falar dele, nos próximos dias.

1 comentário:

VN disse...

Sim, tenta, faz um esforço !
Queremos saber mais sobre o Missionário Claudino e todos os outros GRANDES Homens e Mulheres que conheceste.

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores