Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quinta-feira, fevereiro 01, 2007

O exemplo de Cabo Verde

Percebo que a questão dos Direitos Humanos não seja levantada pela delegação governamental portuguesa que visita a China. Um pequeno país como Portugal não pode afrontar um gigante como a China. Se a ideia é desenvolver os negócios com a China, então percebe-se que se feche os olhos a questões delicadas politicamente. Mas lamento que assim seja.
Agora, também não é preciso exagerar e há algumas verdades que não devem ser escondidas ou dissimuladas. A China deve boa parte do seu sucesso económico à exploração que lá se pratica sobre o povo trabalhador. A mão-de-obra chinesa é muito mal paga (salário médio inferior a 100 € por mês), escravizada em longas jornadas diárias de trabalho, sem direito a férias nem à maioria das regalias sociais de que nós, em Portugal, ainda beneficiamos. Se os empresários chineses julgam que poderão vir para aqui praticar as mesmas regras laborais do seu país, talvez seja melhor, para nós e para eles, que fiquem onde estão.

Cidade da Praia, plateau

Vi há dias, na RTP-África, uma reportagem vinda de Cabo Verde, onde uma multidão se manifestava na rua, em frente às inúmeras lojas chinesas, contra a exploração a que estão sujeitos os trabalhadores caboverdeanos empregados nessas empresas chinesas. Lá por causa de uns empregos precários, os caboverdeanos não calaram a revolta que lhes vai na alma e foram para a rua protestar.

4 comentários:

VN disse...

Cabe-nos a todos e a cada um nós protestar ... é um dever e um direito que pouco exercemos, mas que se fossemos muitos teria impacto.

isabel victor disse...

Isto dá que pensar, CN ... vou tentar saber mais sobre estas manifestações em Cabo Verde ! Motivações / formas de organização /implicações. Muito interessante ...

Temos promovido e participado em debates sobre o tema " Negócios da china ". Este exemplo é um bom mote ... carece de observação/reflexão.

Abraço

Isabela disse...

Em Cabo Verde, em Angola, no negócio da construção civil, e em Moçambique em tudo. Os chineses estão por toda a África como nunca, exercitando um neocolonialismo nojento. Escravizam, verdadeiramente. São uns filhos da puta, esses chineses, uns racistas de marca. É mesmo assim.

isabel victor disse...

CN,permite-me que use(abuse ?) deste teu sítio para dizer à Isabela que acho muito perigoso confundir a deriva, tantas vezes penosa, dos povos com a ganância dos poderes e a prepotência dos governantes ! Não será O capitalismo vermelho chinês que, aliado ao capitalismo internacional, usa " os chineses " como arma de arremesso contra outros povos ? Prefiro pensar assim ...
Conheço famílias chinesas que trabalham há alguns anos em Portugal e entre elas tenho amigos que me merecem a maior consideração! Estes meus amigos são pessoas carinhosas,cultas, esforçadas, solidárias e com fortíssimos códigos de honra quando se trata de amizades e vínculos á comunidade.
Acredito que quando nos conhecemos melhor (pessoa a pessoa; olhos nos olhos)as coisas são diferentes ...
O problema está nos regimes totalitários de cá e de lá e nos medos e mitos que se agigantam nas nossas vidas ! O mundo visto de baixo para cima, a partir do indivíduo é bem diferente do que nos querem fazer crer !
Idealismo ? Utopia ? Talvez ...mas prefiro assim !

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores