Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











sexta-feira, agosto 14, 2009

Duas notícias espantosas




A primeira.
Utentes dos centros de saúde e hospitais do Alentejo, Algarve e Ribatejo vão ter de aprender a falar espanhol, já que comunicar bem com o médico é condição essencial para ele (o médico) perceber de que maleita se queixam os doentes… e como os médicos vão passar a ser cubanos, hay que ablar bien sinon bamos a morir…
Nada contra a globalização dos cuidados de saúde… mas julgo que a contratação de cubanos se deve, apenas, a um qualquer critério economicista. A mão-de-obra do dito terceiro mundo costuma pedir menos pelo salário… e se isso ainda se aceita numa fábrica de panelas, já num hospital gostaria que o critério fosse a qualidade profissional dos contratados. Espero que, além de baratos, sejam bons médicos.

A segunda.
A GNR recompensa os seus agentes que “caçam” mais multas. Não premeia os que prendem mais assaltantes nem os que apanham mais traficantes... Está, assim, explicada a apetência natural dos que viram a cara aos bandidos. Além de ser muito menos perigoso ir à caça das multas, sempre se consegue algum para ajudar a fechar a marquise.

17 comentários:

apre disse...

Bom, já tínhamos cá médicos e enfermeiros espanhóis, nas zonas com falta de médicos, portanto, a malta já deve ter aprendido a comunicar na língua de nuestros hermanos. Acho estranho é médicos russos, romenos e afins num serviço de urgência de um hospital sem dominarem minimamente o português. Nada contra médicos estrangeiros a trabalhar em Portugal, se não temos gente suficiente, mas parece-me que a comunicação entre doente e médico é essencial. O que continuo sem perceber é a falta de médicos.

A notícia da caça à multa não me espanta. Entre a caça à multa e a caça ao suborno (para perdoar a multa), lá se vão fechando marquises...

Fada do bosque disse...

Olá Carlos. :)

Que é feito dos bombistas afgãos?! hem?!?
Não é que davam um jeitaço, a explodir no Ministério da Saúde?!
Grandes filhos da p***!!!
Deixam que a Ordem dos Médicos, essa Máfia, mande no Ministério?!... ou então um míssil! Isto tá bonito!
Não deixam nenhum português ingressar na Faculdade para não terem concorrência e praticarem os preços que querem... estudantes de Medicina que tiveram de emigrar para fazer o curso, lá fora; querem voltar ao país e a p*** da ministra, não deixa e contratam estrangeiros por tuta e meia?! É a p*** da Ordem!!!
Bons médicos, seriam os portugueses se lhes dessem equivalência! Mas isso a Ministra, a sonsa, népia!
Também se vê a notícia da , desculpe, puta da gripe! Ordem dos Farmacêuticos!!! outros tantos (muitos) bombistas vinham a calhar!
Ouvi na TSF, terça feira, que um grupo de médicos britânicos veio alertar, para que é extremamente perigoso a vacina da gripe em crianças! Já foram silenciados... nunca mais se ouviu falar disso. Deve ter chegado aos ouvidos do réptil!

Quanto à outra notícia... espelha bem que este país é mais mafioso que a própria Máfia. É tudo uma bosta tão nojenta que me faz falar mal! BANDIDOS e TERRORRISTAS, têm via livre, para atacar Belém, S. Bento, Assembleia e tudo o que vos apeteça! Ordens e todos esses cabrões!
Façam-nos lá o favor...

Rui Herbon disse...

A questão é que há uns anos se achou que já havia médicos suficientes e não houve cuidado de aumentar as vagas nos cursos de medicina. Agora está a ser mudada alguma coisa, mas tendo em conta o número de anos de estudo e estágio necessários para formar um médico, se não forem os estrangeiros estamos bem tramados. Quanto à questão da língua, é evidente que os estrangeiros deviam ser obrigado a desenvolver a sua competência na língua do país.

andrea disse...

pois fiquem sabendo que a multa da gnr brigada fiscal, 10/100 é para o agente e até esta escrito na nota de pagamento.tenho aqui uma para quem tiver duvidas.
abraços.

Fada do bosque disse...

Ó RUI, ganha juízo!!!

andrea disse...

Oh Fadinha olhe que aqui tb ta um calor do camandro.Prefiro 38 ai onde sempre vai correndo uma aragem do que 34 aqui onde nao corre bufa.Até os passarinhos estao calados para poupar o folego.
Carlos foi preciso que te fosses embora para vir "La cannicule".
Estou em casa com tudo fechado em frente ao pc e a escorrer que pareço um fontanario.
Acho que vou emigrar mais para norte que esta coisa do aquecimento global esta a chagar aqui.
Abraços.

Alex disse...

Caro Carlos, já há uns tempos que não comento, mas vou sempre por aqui passando, com gosto.
Em relação à notícia dos médicos vou ter de discordar consigo e de que maneira. Nem sei bem por onde começar...

- em primeiro lugar, Portugal não consegue produzir os médicos de que precisa. Isto porque ao nível da Ordem dos Médicos há muitos anos, a fim de se conseguirem mater altos salários por via da escassez de médicos, impôs os a limitação de vagas de acesso e para critério único, notas de candidatura! Como se alguém já tivesse conseguido estabelecer alguma relação entre notas do secudário e qualidade profissional, seja em que curso for. E basta estarmos atentos e vermos que os médicos mais antigos hj e aqueles que por via da experiência e competência se destacaram, foram muitas vezes pessoas que fizeram o secundário com médias de 11, 12, 13... Não há nada mais importante para a qualidade de um profissional do que a sua vocação e é por isso mesmo que hj em dia vemos jovens médicos que não querem fazer urgência, falam com os doentes de forma mal educada e mexem neles com esgar de nojo...
- em segundo, estes médicos são contratatos em último recurso, porque os nossos médicos além de serem poucos, sofrem na sua esmagadora maioria de sindrome de superioridade, incapazes de viverem longe das luzes da ribalta dos grandes centros urbanos. Afinal quem invejaria as grandes máquinas na província?...
- em terçeiro, o critério economicista é no mínimo inconstitucional. Como seria possível que no sistema nacional de saúde se pagasse menos a um médico meramente por ser estrangeiro? E mais, quando somos nós a ter de os ir buscar!
- não é verdade que os doentes tenham de fazer qq esforço para se fazerem entender, não por norma seguramente. Sabe que estes profissionais de leste e da américa latina vêm de culturas comunistas, onde todos tiveram uma educação rigorosíssima e ainda mais exigente. Não estão habituados a mimos, até porque o seu estatuto social nos países de origem é o mesmo de qq empregado de balcão. Por outro lado, os hispanicos pelo menos, são até muito bem recebidos pela população em geral, nomeadamente pelos mais idosos. Pela forma de expressão hispânica, tratam todos por tu, sem o distanciamento dos títulos. Por via da sua cultura, estão habituados a viver a outro ritmo, a terem um grande respeito pelos mais velhos o que resulta em consultas feitas com tempo, com atenção, com uma boa explicação do que se passa e até com carinho, que não duvide, cura muitas doenças. Olhe que já soube de pelo menos um médico espanhol que queria ir embora e a população juntou-se pedindo que não fosse.
Conheço tb o caso de um médico uruguaio, formado em Cuba. Trabalha no baixo alentejo e imagine qual o seu maior problema com a estadia em Portugal: não se consegue adaptar à postura superior a que os colegas portugueses lhe querem impingir... É uma pessoa simples, casada com uma mulher simples e entende porque esteram dele sobranceria...
Enfim Carlos, como deve ter reparado este até me é um assunto caro, porque eu fui daquelas que teve de desistir da vocação de sempre desde criança, por causa da tirania das notas de acesso...

E ainda repito, quem como a/o Apre diz que há médicos nas urgências sem dominarem minimamente a lingua, está certamente a falar de cor: primeiro porque é do senso comum que qq português entende espanhol perfeitamente e que a malta de leste é exímia a aprender rapidamente português. Até o pessoal das obras que não precisa de falar, quanto mais médicos; segundo se tal situação acontecesse era obvio que já teria sido denunciada em todos os meios de comunicação social e dado origem a um verdadeirom escândalo.

Fada do bosque disse...

Aqui já está a dar fruto, o prémio das multas.
Então não é, que os GNR, se esconderam , para apanhar os putos, que vão à discoteca ás tantas da manhã?! como se tem de percorrer 2 km de subida e é proibido virar nas transversais, os putos, viram logo, malandrecos, pois aquilo é deserto durante a noite e facilita. Os meus irmãos, que mais poderiam ser meus filhos, iam com as sobrinhas, as nossas filhas, foram apanhados e pelos vistos a "pesca" rendeu, pois a esquadra, estava a rebentar pelas costuras, de jovens; segundo a minha filha e o meu irmão. Vão a tribunal 2ª feira. Os amigos também, pois é transgressão grave pisar o risco contínuo... A confusão na esquadra era de tal ordem, que estiveram lá desde as 3h até às 9h da manhã.

E na mesma noite ocorreram assaltos! Esses, os ladrões, escaparam!
Este país vai de bom a melhor... os manos nunca foram apanhados, pois nunca fizeram transgressões. Espero que isso conte em tribunal.

Há que votar outra vez, nestes políticos de merda, que desgovernam o nosso paízinho de merda com a política do tacho, há 35 anos!!!

Fada do bosque disse...

Olá Andreazinho. :))
Qual aragem qual carapuça! A coisa tá ruim, pior que o Alentejo.



Alex, apesar de ter médicos na família, concordo que sofrem do síndrome de superioridade, falta de humildade e de educação... quase que aterrorizam... aí, os estrangeiros, ou os que praticaram lá fora são o oposto.Parece que sofrem de uma doença chamada antipatia; o que num médico... Mi God! Torna-os asquerosos.

CN disse...

Alex, curiosamente... con cordo com quase tudo o que referiu quanto ao caso dos médicos. Realmente, não entendo porque diabo se insiste num número clausus idiota para os cursos de medicina para, depois, se irem contratar médicos a Espanha, a Cuba ou à Ucrânia... Que média terão eles tido no ensino médio? É que nós só queremos médicos com boas notas no 12ºano...
E estamos aqui a fgalar de médicos, mas o recurso às contratações de estrangeiros afecta também os enfermeiros e outro pessoal para-médico. É frequente sermos atendidos no HSM por enfermeiras espanholas (ou cubanas?), pelo menos na urgência.

Alex disse...

Viva, antes de mais tenho de me pedir desculpa pela quantidade de gralhas do meu comentário anterior! Foi da emoção da escrita :-)

Carlos, claro que apesar de tudo o que disse, a verdade é que é Portugal que está a falhar na formação dos profissionais de que precisa. Pessoalmente até gosto muito de uma sociedade multi étnica (daquelas em que todos têm acesso a tudo e não daquelas em que os estrangeiros só servem para os empregos que mais ninguém quer) e por isso não me importo muito com esta situação, mas o que diz é mais do que verdade: estamos a tirar aos nossos a possibilidade de serem médicos por via de médias elevadíssimas, para depois termos de ir buscar profissionais de quem não conhecemos o percurso. Enfim...

Fada do Bosque - não entenda o que disse como um ataque à classe médica, eu própria tenho família e amigos médicos, mas o que disse quando à sua sobranceria é uma realidade independente dos afectos. E a questão da superioridade não afecta só os médicos, mas a generalidade dos licenciados, uma coisa para mim do mais terceiro mundista que existe.
Curiosamente notei recentemente que algo deve estar a mudar, quando já por duas vezes em consultas médicas fui tratada durante toda a consulta pelo meu título. Ri-me para os médicos em causa pela surpresa e eles próprios perceberam o motivo do meu sorriso, claro. Mas considero isto um avanço ao contrário, as pessoas deviam tratar-se respeitosamente pelo nome e deixar a treta dos títulos...
Um óptimo domingo (de preferência mais fresquinho!)

Fernando Teixeira disse...

Olá... Estou de acordo com o (ALEX). Acho que os nossos médicos (alguns) são é muito preguiçosos, não querem estar a par de evolução cientifica que vai decorrendo. exemplo real:- Uns tempos atrás, a minha mulher estava com tosse, engasgo mas não tinha febre. Foi ao CSaúde cá da zona e a médica diga-se também é a (responsável pelo centro), sem fazer qualquer exame no consultório, (auscultação, medição de temperatura) e todas essas coisas necessárias numa consulta prévia, receita-lhe uma daquelas bombas para falta ar que se põe um comprimido dentro e para cumulo dos cúmulos, receita-lhe um medicamento que o seu efeito era para as bichas. Tomou este porque também mal não fazia mas, no fim não deu qualquer resultado. Volta a uma nova consulta, a médica não a pode atender, encaminhou-a para outra sua colega e no final esta, consegue descobrir que o problema esta no estômago, tinha um fluxo gastrico que a impedia de respirar melhor principalmente quando estava deitada à noite. Portanto o problema estava no estômago (ela tem uma gastrite) e não no MATA BICHAS... depois passados uns dias ficou um pouco envergonhada à frente da minha mulher alegando que nem sempre (ela, ou os médicos), nem sempre sabem tudo. Eu concordo com esta parte da desforra à sua competência. Bom, acabei, com o tempo necessário, pedir a transferência do Centro Saúde. Final, com este exemplo e outros, é uma vergonha. Se fosse médico e tivesse um precaução destes, retirava-me e voltava para a universidade.

Fada do bosque disse...

ALEX

Obrigada, a frescura está a chegar, finalmente! :))

Apesar de concordar com tudo o que diz, realmente acho que os médicos não querem trabalhar no serviço público, porque o privado é um maná.
Não é à toa que são um Poder, acima do Poder... isso é que não consigo ver nos países desenvolvidos, ditos Democráticos.
Aqui o maldito "título", ombro a ombro com a "cunha", imperam... para nossa desgraça. Ficava-lhes tão bem a humildade.

ABRAÇO para si ALEX :)

Alex disse...

Caro Fernando, se enveredarmos pelas falhas médicas, então temos assunto para semanas :-D A última que me sucedeu foi há poucas semanas. Estou grávida e numa das consultas de acompanhamento falei com o médico sobre dois assuntos: a possibilidade de tomar cálcio para prevenir problemas nos meus dentes e o facto de andar a dormir muito mal. Não exigi medicamentos, até mesmo porque o principio das grávidas é evitar todos os que puderem ser evitados, mas o médico era ele e ele saberia melhor do que eu se alguma coisa poderia ser aconselhada. Vim de lá com 2 medicamentos receitados. Avançando pela história, o suposto cálcio que me havia perscrito não era o indicado para grávidas mas sim para problemas de articulações em geral (não favorecia o osso/dente, mas apenas as cartolagens) e quanto ao medicamento para me ajudar a dormir, trazia escrito de forma bem clara que o medicamento não tinha sido sequer testado em grávidas pelo que se desaconselhava totalmente a toma por estas...
E isto, são os casos que se "apanham", imagine-se aqueles que nos passam ao lado...

TERESA SANTOS disse...

Apenas uma perguntinha singela: que mais nos irá acontecer neste país à beira mar plantado?!...

Abraço.

Fada do bosque disse...

TERESA

Se votarmos, naqueles cinco partidos dominados pelo SISTEMA, acho que o pior!
Abraço

TERESA SANTOS disse...

Olá Fada,

Concordo inteiramento contigo. Não é por acaso que já fiz HÁ MUITO, a minha escolha...

Abraço.

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores