Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quarta-feira, agosto 26, 2009

Bolívar, ainda...

Dois dias depois, tenho quase a certeza de que a estátua não passa mesmo de um espantalho para assustar continentais e pretensos colonialistas…
Alberto J.J. acaba de criticar, precisamente, o que ele diz ser a orientação “chavista” e “bolivariana” do governo português. Claro que esta opinião vai ficar englobada naquele rol de “disparates” a que Alberto João já nos habituou, ele próprio joga com isso para dizer tudo o que lhe vem à cabeça. A inimputabilidade de que beneficia acrescenta-lhe fama e glória aos olhos do povoléu e assim vai regendo este “bailinho” da Madeira a seu belo prazer.

4 comentários:

andrea disse...

realmente o estatuto de louco é porreiro.um gajo diz o que muito bem lhe apetece e nao acontece nada.desgraçados dos gajos sérios.um antigo professor meu dizia com piada que os unicos mentalmente saos, sao os que saem do julio de matos com o respectivo certificado, aos outros ha que dar distancia porque nunca se sabe.
abraços.

andrea disse...

O comentário está fantástico!


«Mención especial merecen los carteles de Ferreira Leite que jalonan las carreteras portuguesas. "Não desista. Todos somos precisos", reza. Pero la desolada foto en blanco y negro de la candidata, sin maquillar, podría hacer pensar a los turistas que visitan el Algarve que se trata del mensaje de una asociación de apoyo a la tercera edad o de prevención del suicidio.»
Jordi Joan, La Vanguardia

Fada do bosque disse...

Olá Carlos. :)

Olhe que o homem é falso maluco, como diz e muito bem.
Faz-se de tolo... mas olhe que quem nele vota e o mantém no poder... nem sei que diga. E que a seguir vou à Madeira e sou linchada! :))
Pensei que esse cromo, era tipo o do PNR, que não teria nunca a honra de pisar esse seu solo "sagrado"!

Mas realmente mereceu uma chamadinha de atenção com tal feito estrambólico...nõ consigo encontrar outro adjectivo.

Eduardo Miguel Pereira disse...

A verdade é que na forma de estar e nas atoardas emitidas não há grande diferença entre Alberto João e por exemplo o Chavez.
Separa-os a ideologia ?
E será que um e outro a têm ?
Parecem-me mais dois "animais" políticos que se usam das ideologias em tempos e espaços que lhes proporcionam protagonismo e poder.
E é precisamente pela forma de estar (premeditadamente) desalinhada que granjeiam a simpatía daqueles que os mantêm no poder.

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores