Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











domingo, abril 23, 2006

Sudão, 2000. Dorinda (1)

No interior da região do Alto Nilo, a missionária portuguesa Dorinda Cunha dedicava-se a salvar vidas. A acção decorria em Marial Lou, uma aldeia que não consta em qualquer mapa. A localidade tinha sido fundada apenas quatro anos antes, para servir de refúgio aos fugitivos dos ataques do exército governamental sudanês. Na época das chuvas, Marial Lou transformava-se numa ilha rodeada de pântanos. Durante meses, era um local inacessível. Estas condições geográficas, a localização incerta, mantinham Marial Lou a salvo da guerra, mas demasiado perto da miséria extrema… Dorinda falava perfeitamente o dialecto local. Só assim conseguia dinamizar grupos de pais para apoiar a construção da escola, só assim os conseguia convencer a não retirar as meninas da escola cedo demais, para as casar com o primeiro homem que aparecesse com dinheiro na mão, só assim conseguiu pôr de pé a fábrica de tijolos com que pretendia revolucionar a construção de habitações, só assim era possível viver no meio dos Dinka, um povo demasiado habituado à guerra. Uma mulher no meio dos guerreiros. Foi assim durante mais de 30 anos. A primeira missão de Dorinda Cunha foi no Norte do Sudão. Foi expulsa, quando o governo sudanês decretou a sharia e decidiu islamizar à força a maioria não-muçulmana dos habitantes do país. Expulsa do Norte, entrou clandestinamente no Sul e passou a viver com as comunidades católicas nas zonas controladas pela rebelião do SPLA.

6 comentários:

The City Lights disse...

Que coragem!
A humanidade é o pior bicho que pode existir!
Parabéns pelo blog!Fantástico!

Daniela Mann disse...

Olá Carlos,
Tinha imenso gosto em linkar este blog, mas no amar-ela, são as visitas que se linkam! É só clicar no logotipo dos morangos,"Página Amar-ela" para fazer o registo e adicionar o blog na categoria que preferir!
Se for da sua vontade visite-me, poir tinha imenso gosto em recebê-lo!
Já agora, tenho novo endereço:
www.amar-ela.com
Fico à espera,
Dani

Isabela disse...

Gosto da Dorinda.

VN disse...

Porque será que ouvimos falar tão pouco das DORINDAS e estas nunca são condecoradas, em dias como o de amanhã ou a 10 de Junho ?

CN disse...

Mana, conhecemos uma que é condecorada todos os 10 de Junho, todos, todos. Não falhará nenhum, pelo menos enquanto eu por cá andar... :-)

125_azul disse...

Tens tanta sorte! Já pensaste na quantidade de coisas assombrosas que os teus olhos viram, nas pessoas fantásticas ue conheceram?
A Dorinda, entre elas. Gosto tanto de te ler!

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores