Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











terça-feira, abril 11, 2006

Angola, 1999. Cuíto, o hospital

Quando conheci o senhor Nicolau, ele tinha as duas pernas. Quando acabámos de conversar, já lhe tinham cortado a direita. O senhor Nicolau tinha sido ferido pelo chamado “friendly fire” na última guerra do Cuíto. A UNITA já batia em retirada, para nunca mais voltar, quando o soldado bêbado lhe enfiou um tiro de kalashnikov na perna. A bala estilhaçou-lhe o fémur, o osso infectou e a perna não tinha salvação. Ou lha cortavam ou Nicolau morria com ela. Cortaram.Era Janeiro de 1999. O Cuíto estava sem médicos desde 12 de Dezembro. Os médicos fugiram quatro dias antes da UNITA atacar. Ficaram só três enfermeiros. Eram eles quem dirigiam o hospital. Mestres carpinteiros que, de serrote em punho, cortavam sem hesitações. Pediram-me para ficar ali a distrair o senhor Nicolau, porque a epidural é só uma anestesia local e o homem podia assustar-se quando visse a perna a ser serrada.
Conversámos sem parar, durante aquela meia hora. A cabeça dele abanava ao ritmo com que o enfermeiro empurrava e puxava o serrote. Não sei do que falámos. Sei que ele nunca olhou para a perna, nem mesmo quando o enfermeiro pegou nela e a lançou para dentro de um caixote. Também não olhei…
Naquela noite e na noite seguinte e na outra, não dormi. Fechava os olhos e ouvia o serrote no osso e cheirava de novo aquela mescla de suor e formol que se sentia no bloco operatório do Hospital Provincial do Cuíto.

7 comentários:

Caiê disse...

E Angola, actualmente, em Benguela e Luanda? Dizem-me que ainda se passam MUITAS dificuldades nos hospitais e escolas... Eu queria acreditar que não, que não e que não. As ex-colónias estão ainda cheias de problemas, apesar de continuarem a ser um paraíso de sol sorridente (?).

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Impressionante...
Bjx e boa semana

Maite disse...

Caramba! Um episódio perturbador e dilacerante. Fala-se muito de minas anti-pessoais em que muita gente sofre sequelas para a vida toda. Mas o sr Nicolau é mais uma vitima de outras inconsciências humanas embora no mesmo cenário. Imagino que episódios como este acompanhem para sempre quem os presencie. A descrição do episódio é de uma precisão cirurgica.

Boa tarde para si

P.S. e o sr Nicolau salvou-se?

CN disse...

sobreviveu sim, Maitê.

Isabela disse...

Bolas.

LM disse...

Sem comentários...
Que o Sr Nicolau tenha uma vida longa.
Noite boa.

Phwo disse...

Este é o meu país...
Isto é o que vejo diariamente.
Continuo a querer que um dia tudo isso mudará!...

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores