Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











segunda-feira, janeiro 01, 2007

Bissau, cidade perigosa

Na semana passada jantei com o José Sousa Dias, jornalista da Lusa, acabadinho de chegar de Bissau, depois de três anos na condição de expatriado. Jantei com ele e com mais 30 pessoas, todos, ou quase todos, portugueses expatriados na Guiné e que, como se estivessem mortos de saudades uns dos outros, se juntam para jantar em Lisboa na primeira oportunidade. Digamos que fui testemunha de um notável espírito de corpo. Na verdade, o jantar foi uma espécie de festa de despedida do Zé aos que com ele conviveram durante três difíceis anos. A Guiné-Bissau nunca foi um sítio fácil para um correspondente estrangeiro trabalhar. O Zé, nesta comissão de serviço, levou com um golpe de estado, um assassinato político relevante (a morte do CEMGFA, general Veríssimo Seabra), eleições legislativas e as eleições presidenciais que deram uma segunda vida a Nino Vieira e, ainda, umas semanas de conflito armado na fronteira Norte.

O Zé aguentou com tudo. Só se partiu todo quando, uma noite, à saída de um restaurante, caiu no fosso do esgoto que corre a céu aberto nas bermas das ruas de Bissau. Não riam, que pode acontecer a qualquer um. Bissau é uma cidade perigosa.

6 comentários:

Casimiro disse...

Caro Carlos Narciso,

Sem querer contrariar a motivação deste seu post sobre o José Sousa Dias, gostaria de, para além das citações sobre os vários testemunhos de José Sousa Dias na qualidade de delegado da Lusa na Guiné-Bissau, acrescentar o episódio triste de um jornalista que deixou de servir os interesses da própria Lusa na Guiné-Bissau e furtou-se aos princípios do jornalismo, quando decidiu assumir a divulgação, em concertação com um governante guineense, do falecimento em Bissau a 5 de Junho de 2006, do meu irmão, o jornalista Carlos Alberto " Beto" Casimiro.

O Carlos Narciso deve estar a par do "Dossier Beto Casimiro", pois fiz questão de lho fazer chegar por correspondência electrónica.

Para quem não acompanhou essa situação, basta dirigir-se ao site www.didinho.org e na secção Editorial encontrará o referido dossier.

Não ando a perseguir o José Sousa Dias e ele sabe disso. Não há em mim nenhum sentimento de ódio ou de vingança, mas há um processo em curso sobre este caso que, já passou na ERC com o parecer que também fiz chegar ao Carlos Narciso em tempo oportuno.

Importa fazer com que as pessoas reconheçam os seus erros e as suas teimosias, respeitando e considerando as famílias com as difamações e calúnias do tipo que José Sousa Dias fez em relação ao meu falecido irmão.

Bom 2007 para si e para a sua família

Fernando Casimiro (Didinho)

PreDatado disse...

Aqui há poucos anos, um autocarro caiu numa vala do caneiro de Alcântara. Sem golpes de estado há mais de 30 anos e poucos assassinatos políticos relevantes, mas nunca esclarecidos e estou a lembrar-me do padre Max embora a mais de 300 kms de Lisboa, Lisboa (ou Portugal?) também é uma cidade/país perigosa. Custa-me admitir que cada um tem a cidade que merece, mais c'est la vie.
Bom ano para si Carlos Narciso.

CN disse...

Didinho, a sua querela com o JSD já foi resolvida. A Lusa publicou as desculpas devidas e não vejo razão para continuar com isto. Apenas publiquei o seu comentário, para que não argumentasse com censura ou encobrimento de qualquer coisa.
Independentemente do que tenha acontecido, o José Sousa Dias é um bom jornalista, disso não enho qualquer dúvida.
Mas, todos nós, podemos errar, se é que foi disso que se tratou.
Um abraço.

Casimiro disse...

Caro Carlos Narciso,

Não vou entrar em detalhes sobre este assunto, no entanto quero dizer-lhe que a Lusa não pediu desculpas nem tão pouco o José Sousa Dias reconheceu ter errado, ainda que a Lusa tenha reconhecido isso e a ERC ter feito referência a isso no parecer sobre a queixa que apresentei.

Gostaria de lhe dizer ainda, que pode apagar este e o outro comentário meu que motivou a sua resposta.

Só não percebo porque quis ler o meu pensamento ao insinuar que só publicou o comentário para que eu não argumentasse com censura ou encobrimento de qualquer coisa... Por acaso dei-lhe a entender isso alguma vez?

Lamento ter deixado os meus comentários no blog, pois parece que não convém ainda que de forma civilizada, abordar certos assuntos.

Mas o Carlos sabe que felizmente, não preciso deste espaço para escrever.

E porque acha o Carlos que o José Sousa Dias não errou, ao dizer que: " Mas, todos nós, podemos errar, se é que foi disso que se tratou."?

A amizade é sinónima da verdade?
Penso que nunca foi, nem será, caro Carlos Narciso.

Muito obrigado e as minhas desculpas pelo incómodo!

Didinho

Gangster disse...

peço desculpa por invadir o Blog´(Que esta espectacularmente bom, que continue assim)
Sei que pode ter pouco a ver com o que nos é relatado por CN
Mas por favor não deixem de visitar

http://sexodrogasrock.blogspot.com/

Comenta-se de tudo um pouco, Aborto, Religião, Politica actualidade, musica, filmes, arte, drogas e por vezes meninas que se encontram na web etc... por favor não deixem de comentar!

E um feliz 2007 para todos!

Klatuu o embuçado disse...

Boa gente! ;)
e dos pitéus nem se fala!

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores