Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











segunda-feira, março 12, 2007

Utopia

Ora aqui está mais uma inovação deste blog! Vídeos!
Tenho o prazer de vos apresentar o melhor emprego do Mundo.
Para quem precisar de tradução, aqui fica uma explicação sucinta: A Google foi considerada a melhor empresa da América para onde ir trabalhar. No vídeo que exibo, podemos perceber porquê. Em vez de cartão de ponto, a Google tem ginásio, barbeiro, lavagem de carro, sala de jogos, massagens, lavandaria e médico, tudo para que os funcionários se sintam tão bem lá dentro que nem se lembrem de ir para casa aturar a mulher e os filhos. O restaurante é de 5 estrelas e a comida grátis.
A meio do vídeo, alguém diz que aquilo é uma utopia, mas a verdade é que os trabalhadores parecem gostar tanto que os índices de produtividade são altíssimos e os conflitos laborais inexistentes. A empresa recebe 1 milhão de candidaturas por ano, pudera! É um sítio sempre em festa.
De certo modo, este vídeo fez-me lembrar os primeiros anos da SIC. Também ali as pessoas se sentiam tão bem que pouco tempo passavam fora do local de trabalho. Claro que a SIC nunca proporcionou condições de trabalho semelhantes às da Google, nem de longe. Mas havia uma magia no ar, muita alegria no trabalho, muito incentivo à criatividade. Mas esses tempos morreram, pela ganância e incompetência de quem devia ter apostado devidamente nos trabalhadores leais à empresa.
Agora, o exemplo do Google devia ser mostrado aos empresários nacionais. Podia ser que aprendessem alguma coisa.


4 comentários:

LA disse...

Já dizia o Richard Brandson, um dos gajos mais ricos do mundo, que as plantas para crescer precisam de ser regadas...
Há que saber fazer cumprir os deveres sem martelar cabeças.

MRF disse...

mas não vi "velhos" com mais de 40 anos...

Pitigrili disse...

Tem piada que na RTP do Lumiar e dos primeiros tempos da 5 de Outubro acontecia o mesmo...

Isabela disse...

Pois, eu ia dizer exactamente o mesmo que mrf: não há pessoas com mais de quarentas e, mesmo assim, poucas. Vi umas 2 ou 3.
Nós temos muito a cultura da dor. há que penar para conseguir viver. É mentira. Há que ser feliz. Este exemplo, em Portugal, não passa muito. Noutra encarnação, talvez.
Eu sempre trabalhei mal quanto me apertaram muito o pipo. Não sei fazer rigorosamente nada se não me sentir livre.

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores