Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











segunda-feira, setembro 21, 2009

Mais um para o desemprego


Ou é um agente com uma agenda política escondida ou é um tonto destravado ou, então, é mais um cordeiro sacrificado pela perfídia política. Acreditem no que vos der mais jeito, mas eu não alinho em alegações de loucura temporária nem em actos motivados pelo álcool. Mesmo se 20 anos de serviços fiéis à criatura possam levar qualquer um a desvairar por completo…

6 comentários:

N O G A S disse...

...qual jogo de xadrez...este gesto do PR foi para... resguardar-se de um xeque? ou, ao dar a "comer" um bispo, eliminar na mão a seguir a rainha???...

Fada do bosque disse...

Eu vou, pelo sacrificado... pela perfídia política... como sempre!
Nada mais existe, digno de realce neste País, nada mais conta, nada mais interessa... onde é que estes políticos, foram buscar tais exemplos?!
A José Eduardo dos Santos, ou a Mugabe?! decerto, juntaram os dois... ou será isto geral?!

Monica disse...

Daí que o silêncio de Cavaco seja cada vez mais ruidoso... e se calhar é Sócrates quem sai a ganhar- afinal, parece que a história da "campanha negra" não era mentira, e haverá mt gente a questionar até q ponto os outros "casos" serão tb "armações" entre assessores q representam criaturas com agendas políticas dúbias, e jornalistas a quem a ambição de ser estrela num "Watergate Tuga" fez esquecer as regras mais básicas do jornalismo ...

ClandestinaMiss disse...

Rei protege Raínha e joga Cavalo de Tróia.
Bispo descobre Cavalo e avança sobre Torre.
Rei come Peão.
Game Over or maybe not

Péssimo jogo de xadrês!
Nem para um Cavaco-Gate temos jeito?
Balhamassantapiriquita... socorro tirem-me daquiiiiii

AGRIDOCE disse...

Princípio:
A corda, quando estica, parte sempre pelo ponto mais fraco.

Fim:
E partiu?

Formulação:
Sendo que a corda esticou durante tanto tempo e só agora, depois de nos terem garantido que tudo se nos revelaria (sob método recatado e forma secreta, é claro), apenas após a campanha eleitoral, é que resolveram dizer que partiu, será que vamos ter uma perspectiva da corda?
Quão grossa era?
Até onde ia?
Quem a tinha enredado e quem a puxava e de que lado?
E ainda faz sentido esperar pelo fim desta campanha para começarmos a ver o filme real?
Ah, como ando mais e mais incrédulo nestes régulos todos juntos, desde o árbrito jogador aos jogadores a árbritos.

Helena Sacadura Cabral disse...

A menos que o PR tenha alguma coisa escondida na manga, que soltará fogo na segunda feira, acho que já são silêncios a mais e demissões sem qualquer explicação que não seja a que cada um lhes queira dar...
Açores, Dias Loureiro, BPN, Fernando Lima são demasiados estilos erráticos em muito pouco tempo...

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores