Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quarta-feira, maio 03, 2006

Bairro da Torre (2)

Manchete quase única nos jornais de hoje, a operação policial ao Bairro da Torre.
Mesmo nos jornais de referência, também muito necessitados de vender papel. Ao menos que tenha servido para isso, já que a polícia encontrou poucas armas a julgar pelas reportagens publicadas: 3 pistolas, 3 carabinas, 13 caçadeiras. Segundo parece, houve fuga de informação. Os alegados marginais terão tido conhecimento prévio de que a operação se ia realizar, pode-se ler numa das reportagens. Quem terá bufado? Ou foram polícias ou foram… jornalistas…

7 comentários:

Ana disse...

Sim, das duas uma..... Mas.... o que ganhavam os jornalistas com isso?? Se tivessem sido mais armas apreendidas, o mediatismo era maior, logo.... vendiam-se mais jornais....

By the way.... Feliz Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

pedro oliveira disse...

Pois, «Feliz Dia Mundial da Liberdade de Imprensa», embora, pareça mais importante... O Bairro da Torre I e o Bairro da Torre II.

Mais Notas Soltas disse...

Espera aí! O Paulo Moura, do Público, não estava lá? Não foi ele que andou a alardear o facto de avisar as prostituras (do Intendente??) sempre que havia uma rsga da polícia? E já agora, se alguma das 19 armas apreendidas não o tivesse sido, e servisse, amanhã, para te matar um filho? Aí, protestavas, porque a polícia não faz nada...

CN disse...

Ana, os trabalhadores de um jornal não são donos da empresa. Muitas vezes, são até explorados, muito mal pagos. No Bairro da Torre, vende-se droga... esses clientes, se soubessem de alguma acção policial para ali, certamente avisariam o fornecedor para se precaver... sei lá, há tantas variáveis possíveis...

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

cada vez mais se sente insegurança no nosso pais, e cada vez menos as autoridades tem meios para combater a criminalidade...
Mais um assunto que necessita ser revisto na politica no nosso pais.
Bjx

125_azul disse...

Rusgas, bufos, politiquices, polícias e ladrões. É que ninguém os pára!!!

LM disse...

Passo todos os dias no bairro 6 de Maio e na Cova da Moura, às oito e meia da manhã e às 6 e meia da tarde, mais coisa menos coisa, que eu nem relógio uso.
Não é raro ver estacionadas viaturas da PSP, daquelas king size, porque nunca me ocorreu contar os lugares.
Hoje à tarde foi o auge: num dos cruzamentos do bairro 6 de maio, os elementos da psp estavam estrategicamente colocados em linha recta, paralelos à tal viatura king size,encarando de frente a fila de trânsito que ali se forma todos as manhãs e todos os fins de dia.
Ontem,passei exactamente nos mesmos bairros pouco antes da meia-noite.
Acontecimento extraordinário: não vi nem uma alma da PSP (fardada,obviamente)nem uma simples viatura de cinco lugares.
Nada.
A verdade é que também não havia filas de trânsito.Vulgo espectadores.
Noite boa.

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores