Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quinta-feira, maio 11, 2006

Santo Nyerere

«Desejaria acender uma vela e colocá-la no topo do monte Kilimanjaro para que iluminasse até mais além de nossas fronteiras, dando esperança aos que estão desesperados, pondo amor onde há ódio e dignidade onde há humilhação». O homem que disse isto, está prestes a ser canonizado, segundo uma notícia que li na revista dos missionários combonianos.

na foto, Julius Nyerere com Gabriel Garcia Marquez

Confesso ignorância total e completa sobre os requisitos para se ser considerado santo pela Igreja Católica mas, julgo, será necessário ter feito algum milagre. E, sendo assim, ainda mais me intriga que Julius Nyerere venha a ser canonizado. É que nunca ouvi falar de nenhum presidente africano… milagreiro. A não ser que se considere que não ter ficado agarrado ao poder, ter abdicado de livre vontade, ter tentado promover uma política de desenvolvimento sustentável, seja milagre. Se for isso, acho que há mais um na calha… quase pelas mesmas razões, Nelson Mandela. Mas não sei se Mandela é religioso…
Julius Nyerere morreu em 1999, com leucemia. O povo da Tanzânia chamava-lhe Mwalimu.
Irónico é que, se Nyerere chegar a Santo da Igreja Católica, deve ser o primeiro santo a que muitos chamaram de comunista, tal como consta na Marxists Internet Archive Photo Gallery.

2 comentários:

Isabela disse...

Também fiquei perplexa.

escrevi disse...

Muito interessante.
O pobre coitado se calhar ainda dá umas voltas na tumba só de saber que vai estar ao lado do outro da Opus Dei!

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores