Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











terça-feira, maio 02, 2006

Bairro da Torre

Não há quem não tenha ouvido falar do Bairro da Torre. Hoje, apenas. Porque a polícia foi lá à procura de armas e tratou de publicitar com tempo essa iniciativa. Aposto que as manchetes de amanhã de manhã vão estar cheias de fotos da acção policial e de considerações sobre os ciganos e os africanos detidos pela polícia. Mas há quantos anos existe o Bairro da Torre? Quem permitiu que a criminalidade se instalasse ali de modo avassalador? Quem andou décadas a fazer de conta que aquilo não existia? Quem teimou em não ver os sinais? O que fizeram quando os trabalhadores dos serviços municipalizados de Loures se recusaram a entrar no bairro, porque eram assaltados sempre que lá iam recolher o lixo? Esticavam o braço para engatar o contentor à grua do camião e desaparecia o relógio de pulso… ou era a carteira que ia na ponta e mola do tipo escondido na sombra… e quem resistia levava porrada… sei disto porque andei por lá, numa reportagem para a TSF, em 2004.
Desde que a recolha de lixo se passou a fazer apenas nos contentores junto à estrada asfaltada, o Bairro da Torre passou a ser uma estrumeira inqualificável. No Inverno, a lama dos caminhos mistura-se com as montanhas de desperdícios e restos de comida, dejectos humanos e ratos mortos a tiro de caçadeira. No Verão é bastante melhor… não há lama, apenas pó e dejectos humanos, lixo e ratos mortos a tiro de caçadeira.
Agora que a polícia lá foi e arrecadou todas as caçadeiras, os ratos vão fazer uma festa!

6 comentários:

LM disse...

Eu só fixei uma senhora idosa a quem rebentaram (n encontro melhor termo)a porta de casa e que dizia não ter dinheiro para a consertar.
E pensei que faria ali tanta arma,quando andamos tão precisados delas.
Noite boa

escrevi disse...

A situação é grave mas o teu comentário fez-me rir.
Realmente isto é um país de publicidade.
E os anúncios só saiem quando se sabe que o programa tem grandes audiências.

125_azul disse...

Os ratos vão fazer a festa. Mas não é isso que andam a fazer, faz tempo, nesta terra?

Mais Notas Soltas disse...

Claro. Coitados. Só gente séria e honesta, ali. Por acaso, um dos moradores até dizia que não se podia deixar nada à vista, que até os vizinhos roubavam. Mas espera aí! se calhar não era morador. Devia ser um polícia infiltrado. Mas a culpa é da sociedade. Do Salazar.Do Bush. Do Balsemão...

CN disse...

máquina zero, não se deixe levar pela burrice. quem fala em "gente séria e honesta"?

Isabela disse...

A intervenção da polícia só acontece quando todas as outras falham. A primeira intervenção seria sempre a da assistência social, a dos serviços de saúde, a da formação de adultos, a de campanhas de prevenção e remediação de comportamentos de risco. Parece utópico? Temos um país cheio de licenciados em psicologia, sociologia, etc., que não consegue arranjar emprego; gente nova que estaria disposta a trabalhar em condições curas, como esta. Gente ainda não cansada, não descrente. Mas aos governos não interessam este tipo de investimentos,porque não dão votos. Estradas, tgv´s, educação para as élites, isso dá votos. Os lumpen que continuem lumpen longe dos olhos de todos e depois vai lá a polícia, faz uma desparasitação e a coisa acalma. Este é o nosso mundo. O de alguns. Só para alguns.

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores