Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quarta-feira, maio 31, 2006

A organização do Estado

Fui de manhã à Caixa dos Jornalistas entregar comprovativos de despesas de saúde do meu agregado familiar. Consultas no dentista, uma radiografia, coisas assim. Por causa da radiografia já lá tinha ido uma outra vez. O papel não tinha sido aceite, porque faltava o comprovativo do pedido médico. Como se alguém andasse a tirar radiografias por gostar de ver os seus ossos… Agora, aconteceu que um dos recibos do dentista foi rejeitado. Porque falta a especificação do tipo de tratamento e o número do dente tratado! Que interesse tem para o Estado saber se a cárie é no segundo molar inferior direito, se no canino superior esquerdo?
Tenho de voltar ao dentista, por causa da especificação-escrita-e-certificada-sem-qualquer-margem-para-dúvidas-do-dente-tratado e, depois, regressar uma vez mais ao guichet estatal onde, finalmente, me aceitarão o papel e o respectivo pedido de reembolso.
Percebo que o Estado tente evitar as burlas, mas assim.... Até porque, enquanto ando para trás e para a frente, não trabalho. E depois vão-me chamar absentista.

8 comentários:

Barão da Tróia II disse...

Interessa e muito, o dente prevaricador tem de ficar registado, pois poderá cair na tentação de reincidir.

Ana Afonso disse...

Olá
Nem mais...levar papeis da esquerda para a direita e da direita para a esquerda é o que de melhor temos a fazer assim cumprimos duas missões que todos temos ... uma "parecer" muito ocupados ... duas dar emprego a quem recebe esses papeis todos!!
Como é bonita esta maneira de pensar e mais ainda que util !!
Abraços e sorrisos
ana afonso :)

125_azul disse...

Acho que a menina do balcão tem uma paixoneta por ti, quer que lá voltes muiiiiitas vezes! E irrita-te porque gosta deles bruuuutos! Abraço

Isabela disse...

Eles querem saber quantas vezes tratas o dente nº 21. Se o tratares 6 vezes por ano é fraude. Porque nós, para eles, somos fraudulentos à partida. Somos culpados sempre.

SaltaPocinhas disse...

vim até aqui por causa de um comentário no barão da troia sobre o (não) ensino. Interessante este blog, de uma pessoa de quem admirava as reportagens... Mas anda desaparecido ou é impressão minha?

SaltaPocinhas disse...

ah, e essa história dos dentes tem de ser mesmo assim para evitar que alguém "trate" um dente que já foi arrancado.
Nesse caso a falha foi do médico que devia saber que tinha de incluir isso no recibo!

A Sonhadora disse...

Estou completamente de acordo com a tua opinião, que deixaste no barão de troiaii...as escolas necessitam de novo do estatuto de "explusão", sim!!!
Hoje parece que o que os prof.dizem e fazem, está tudo errado...e os alunos são os donos da verdade ...
Sou pela liberdade, sim....mas com educação também, pois se não existir a educação, então este país regride para o tempo em que se dizia : Olho por olho, dente por dente...
Um abraço da sonhadora

Fernando Alves disse...

Cada vez que precisei de ir à Caixa dos Jornalistas senti-me um salteador de estradas e tive de usar, aos berros, o vernáculo mais reles. Já na Casa da Imprensa, felizmenmte, não somos - pelo menos, não o senti, até agora - tratados como inimigos.
Haja saúde.
Abraço

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores