Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











sexta-feira, junho 26, 2009

Saldos eleitorais


Não sei sequer se vou votar e, portanto, estou mais ou menos nas tintas para a questão da simultaneidade das eleições legislativas e das autárquicas. Mas, já agora… deixem-me dizer (claro que deixam, é apenas uma figura de estilo) o que penso sobre o assunto: o problema nem é que o povo confunda os diferentes actos eleitorais, o problema é que os políticos continuem sem saber em que campanha andam metidos. Nas últimas eleições foi o que se viu, em vez de se discutirem questões europeias discutiu-se tudo o resto e ficámos sem perceber quais eram os compromissos que os eleitos assumiam com o eleitorado. E se julgam que lá por não ter votado que me inibo de os criticar, estão bem enganados.
Quem decide a data das eleições autárquicas é o governo e o PR decide a data das legislativas, diz a Lei. E vi numa das pantalhas o PR esclarecer que quem tem de anunciar primeiro a sua data é o governo e que, só depois, ele decidirá a data das legislativas.
Agora, aposto singelo contra dobrado como o Presidente da República vai decidir pela simultaneidade. Contra quase tudo e todos, excepto o PSD, Cavaco vai fazer o jeito à malta do seu partido e vai utilizar o pretexto de poupar umas massas ao erário público e poupar o povo a duas campanhas eleitorais. Para quem é bacalhau basta e mais uma campanha bagunçada servirá muito bem.

5 comentários:

Ferreira-Pinto disse...

Eles, lá para os lados de S. Caetano à Lapa, já cheiram o tacho!

E Cavaco, que nunca foi conhecido por ser de bons fígados, aproveita para fazer o frete.
Mais a mais, Sócrates, esse enorme palerma, colocou-se a jeito por várias vezes!

Fada do bosque disse...

Pois parece que o PR não é inócuo e a sua inclinação, vai mesmo para o seu partido. Aliás, nunca fui muito com a cara dele... Isto aqui no nosso país, anda tudo conspurcado!

inês costa disse...

Pois é, pois é. Vai daí que a abstenção suba, as minorias subam e se sucedam governos e desgovernos. No fundo, não há que estranhar: se nem os partidos sabem qual a sua latitude e longitude no meridiano político, porque haveríamos de pensar que se ponderariam as vantagens contra as desvantagens de juntar actos eleitorais?

CN disse...

Pois é, perdi a aposta. Acontece nas melhores famílias...

Fada do bosque disse...

Glups!...
Acontece, acontece...
Provávelmente, o PR leu este artigo e vai daí!...

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores