Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











segunda-feira, janeiro 23, 2006

Parasitas

Passo a passo, os cientistas continuam a batalha contra a doença que mais mata no Mundo: a malária.
Foi notícia, na BBC, que um grupo de cientistas do Instituto Pasteur de Paris conseguiu seguir as “pegadas” do plasmodium (o parasita imaturo), assim que o mosquito pica na pele da vítima. Segundo percebi, os cientistas conseguiram colorir com tinta fluorescente o plasmodium e, assim, puderam seguir-lhe o rasto no organismo de ratinhos cobaias.
Para já, ficámos a saber que cada picada injecta cerca de vinte parasitas no corpo. Não sei onde estas pesquisas irão dar, mas sei que é urgente que se descubra uma vacina ou qualquer outro tipo de tratamento eficaz para debelar esta doença. A malária mata mais que a SIDA. E mata há muito mais tempo… É uma doença terrível, que dá cabo de qualquer um. Já vi homens, fortes como touros, morrerem de malária em 3 dias. Já tremi, diversas vezes, com crises de malária. A minha passagem de ano de 2000 foi numa cama do Hospital Egas Moniz, em Lisboa, depois de uma viagem ao Congo. Há dois tipos de plasmodium, o falsiparum e o vivax… e já me diagnosticaram os dois em simultâneo. Tenho mais medo desse parasita que de tipos armados em maus…

3 comentários:

i. disse...

o que acontece é que a malária continua a ser vista como inerente à condição de 3ª mundo; a comunicação social pouco faz para mudar este estigma... embora os números da sida seja assustadores no continente africano, a verdade é que é considerada uma doença ocidental, afinal figuras conhecidas (cantores, actores) morreram de sida. alguém conhece uma figura conhecida que tenha morrido de malária?
um atentado que mate 30 iraquianos é desprezado, um atentado que mate 30 pessoas em londres é uma tragédia.

com esta estigmatização dos mundos, haverá sempre os "atrasados".

enfim, é triste...

CN disse...

tens razão, mas olha que há uma tese que diz que uma das razões que levou ao enfraquecimento dos exércitos de Roma foi a malária que, naquela época, afectava a Península Ibérica, o sul de França e de Itália. Isto é, Império podem cair à conta do pequeno plasmodium... era bom que Bush tivesse isto em atenção! :-)

Anónimo disse...

Tb já ouvi essa teoria da malária e da queda de Roma e parece-me mto interessante, ainda q, obviamente , pacelar. Mas, impérios à parte... já me bastava que o Bush sofresse só um bocadinho do que eu sofri qd tive malária... e nem foi das piores!

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores