Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











segunda-feira, março 20, 2006

Combates na Guiné Bissau (3)

Em Bissau, a população interroga-se sobre as verdadeiras motivações do poder político, que levaram a esta ofensiva contra as populações que apoiam os guerrilheiros independentistas de Casamança. Muito boa gente acredita que Nino Vieira está, agora, a pagar favores contraídos durante a guerra civil, quando o Senegal enviou tropas para sustentar o seu regime.
Outros, acreditam que o Senegal pagou elevadas luvas às chefias militares, para as convencer a ordenar esta ofensiva.
Quem fala assim, estranha uma luta entre irmãos… por motivos que lhes são alheios, em parte… isto é, a luta de guerrilha que se trava em Casamança contra o regime senegalês. A intervenção dos militares da Guiné-Bissau no conflito da Casamança foi criticada num programa de rádio e alguns desses críticos terão sido chamados à sede dos Serviços de Informações (a "secreta" guineense), para serem ouvidos. No programa Voz do Povo, interactivo da rádio Galáxia de Pindjiguiti, (estação privada) vários participantes afirmaram que as autoridades guineenses, governo, presidente da República e chefias do exercito, teriam recebido dinheiro do Senegal para intervirem militarmente no "conflito de Casamança". A maioria dos intervenientes no programa afirmou que os soldados guineenses estão a morrer por uma causa que não diz respeito à Guiné-Bissau.
Fontes no terreno confirmaram à Agência Lusa, no sábado, que os rebeldes não deixaram partir as populações das aldeias de Nhambalan, Djacmundo, Bufa e Suncutoto, quando estas pretendiam fugir para zonas mais seguras evitando os combates. Segundo essas fontes, os rebeldes pretendiam utilizar essas pessoas como "escudo humano" para no caso de ataques do exército guineense. Os mesmos rebeldes terão também colocado minas terrestres em redor das quatro aldeias.
Quanto a vítimas, não há números. Ou não os contam, ou não os divulgam… refiro-me aos mortos, feridos e deslocados.

2 comentários:

ELCAlmeida disse...

Acredito mais na hipótese 1: Nino pagar os favores senegaleses quer da primeira crise guineense quer pelo facto de ter chegado ao poder com o apoio inequívoco dos senegaleses.
Um abraço
Eugénio ALmeida

Sony Hari disse...

Quando chega a hora de contar os mortos e os feridos parece que a informação sofre de intermitência ...

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores