Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











sábado, março 18, 2006

Congo, 2001 - A Expedição, testemunhos

Constant Silingbe é um antigo soldado do exército de Mobutu, que combateu em Angola ao lado da Unita, factos que não fazem dele um mentiroso, necessariamente. Fez-nos um relato de um “encontro imediato do 1ºgrau” com animais que ele diz poderem ser gorilas. Disse-nos ele que viu uma fêmea símio, muito grande, mais alta do que eu (tenho 1 metro e 74), com uma cria. Que não a matou por não saber o que fazer com ela, depois. Esse encontro passou-se, alegadamente, em Março de 1999.
Muito mais antiga é a história que nos relatou um holandês que vive no Congo há 43 anos e que foi contratado para organizar o acampamento-base da expedição. Um dia, John Valk encontrou um caçador português, ido de Angola, que também lhe disse ter morto gorilas nesta região. Esse caçador chamava-se Medina, era um mulato, filho de pai branco e mãe negra. Inclusive, Medina mostrou-lhe fotos de gorilas mortos por ele, nesta região onde estávamos.
Mais tarde, segui a pista de Medina. O caçador, já morreu. Os descendentes nada sabem sobre gorilas. Vivem na Bélgica. As fotografias que guardam desse antepassado apenas demonstram que o português sabia bem o que era um gorila e que os matava com afinco. No espólio de Medina não encontrámos a fotografia descrita por John Valk.
Mas encontrei outros testemunhos, noutros locais…

7 comentários:

Isabela disse...

Venham esses outros testemunhos?
A foto do playboy de óculos escuros e anel a meio dedo ficará guardada na minha memória fotográfica para sempre.
Acho que devem ter existido por lá gorilas, mas, se os mataram tão afincadamente, o mercenário deve ter tido um encontro de 1º grau com outro bicharoco qualquer. E não o ter morto por não saber o que fazer com ele, foi cá um argumento...

Isabela disse...

Não percebo isto:

"Os descendentes nada sabem sobre gorilas.(...)As fotografias que guardam desse antepassado apenas demonstram que o português sabia bem o que era um gorila e que os matava com afinco."

Pelas fotos que guardam, sabem que o pai, o avô, caçava gorilas?
Esta foto horrível é do Medina?

E isto também me intriga:

"Mas encontrei outros testemunhos, noutros locais…"

Isabela disse...

Esta foto que puseste no fim, gostava de a ver maior. Põe-las muito pequenas: custam a perceber alguns pormenores que são essenciais na história.
Queria ver melhor os negros que estão cá em baixo, junto aos brancos; um parece estar a tocar trompete, ou a imitar esse gesto, outro segura uma máquina de filmar, não é? E estão ligeiramente dobrados, e encostados aos gorilas que os outros seguram... parece-me.

Márcia disse...

Que existiram está provado pela foto que colocou aqui,mas o que fazem eles na foto?estão expondo os gorilas?E como os que restam nada sabem dos gorilas?
Que história...
lindo final de semana,
beijosssssssssss

Paulo J. Ribeiro disse...

Não sei o que dizer... Vai ser melhor esperar pelas testemunhas.

CN disse...

os filhos e netos de Medina nunca viram um gorila na vida. sabem, apenas, que o pai os caçava, porque têm velhas fotos onde isso está demonstrado. no caso da foto que exibo, Medina está com outros brancos (ele organizava safaris) numa pose de exibição de dois gorilas mortos. os corpos dos gorilas estão amparados, para simular que estão também em pose fotográfica...

Sony Hari disse...

Começo a achar que os portugueses são omnipresentes... Ainda bem que não somos um vírus :)

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores