Memórias de muitos anos de reportagens. Reflexões sobre o presente. Saudades das redacções. Histórias.
Hakuna mkate kwa freaks.











quarta-feira, março 01, 2006

Kosovo, 2001 - Bondsteel

A base Americana de Camp Bondsteel, no Kosovo, é uma coisa imensa. São centenas de hectares, de aquartelamentos, lojas, cinemas, ginásios, restaurantes (entre os quais um Burger King), oficinas, pistas de aviação para helicópteros e aviões, campos de tiro, estabelecimento prisional também, segundo consta, whateverQuando passei por lá, havia milhares de soldados por ali. Fui a uma das lojas para comprar um souvenir e caiu-me o queixo… só não vendiam automóveis. Aquilo era o equivalente a um supermercado e dos grandes, comparado com a lojeca do campo de Klina, onde estavam os soldados portugueses. Camp Bondsteel é a prova de que os EUA não deverão sair tão cedo do Kosovo. A construção daquela base custou uma fortuna. Foi preciso terraplanar colinas por causa da pista de aviação. Todos os edifícios estão equipados com luz eléctrica, água canalizada, aquecimento central. São edifícios de madeira, mas daquela madeira que tem 30 anos de garantia…A dimensão dos meios logísticos era impressionante. Centenas de veículos militares, desde tanques, jeeps, hélis, blindados de transporte e aviões. Aquela era a maior base da KFOR e uma demonstração inequívoca de quem tinha poder e queria exercê-lo. Depois de se passar a porta de armas, era como ter entrado na América, excepto num pormenor: ali dentro não havia liberdade de expressão. Quase tudo era proibido de ser filmado ou fotografado. E só lá entrámos porque fomos levados por um Major português. As fotos que exibo, foram tiradas por Steve Nettleton, jornalista da CNN, sob rigorosa supervisão de um oficial do exército dos EUA. Porque, a mim, não me deixaram…

Sem comentários:

AddThis

Bookmark and Share

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Jornalista; Licenciado em Relações Internacionais; Mestrando em Novos Média

Seguidores